23042024Ter
AtualizadoSeg, 22 Abr 2024 2pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

ASCO 2023

DUO-O: combinação de durvalumabe e olaparibe aumenta sobrevida no câncer epitelial de ovário avançado

pilar 2022 bxA adição de olaparibe (Lynparza®) e durvalumabe (Imfinzi®) ao tratamento padrão prolongou a sobrevida livre de progressão de mulheres com câncer de ovário avançado recém-diagnosticado sem mutações BRCA, representando avanço promissor para essas pacientes. Os resultados são da análise interina de estudo randomizado de fase 3  (DUO-O) apresentado no ASCO 2023. "Sem dúvida, é um estudo importante que traz benefícios para uma população que ainda tem necessidades não atendidas", avalia a oncologista Maria Del Pilar Estevez Diz (foto).

Neste estudo multicêntrico, randomizado, duplo-cego, de fase 3 (NCT03737643) foram elegíveis 1.130 pacientes recém diagnosticadas com câncer epitelial de ovário de alto grau (FIGO estágio III ou IV), com status positivo ou negativo para deficiência de recombinação homóloga (HRD), sem mutação BRCA. As pacientes elegíveis haviam realizado debulking ou iriam receber cirurgia de citorredução. Essas pacientes foram randomizadas para 1 dos 3 braços de análise. Em todos os braços, as participantes receberam o tratamento padrão – quimioterapia inicial com paclitaxel/carboplatina mais bevacizumabe, seguido de manutenção com bevacizumabe.  Nos braços 2 e 3, durvalumabe foi adicionado aos regimes inicial e de manutenção. No braço 3, olaparibe também foi adicionado ao regime de manutenção. Durvalumabe ou placebo foi administrado a cada 3 semanas por até 24 meses e  olaparibe ou placebo foi administrado duas vezes ao dia por até 24 meses.

O endpoint primário foi a sobrevida livre de progressão (SLP) avaliada pelo investigador (RECIST v1.1). No ASCO`2023 foram apresentados os principais achados da análise interina.

No corte de dados (5 de dezembro de 2022) a SLP no braço 3 vs braço 1 foi estatisticamente significativa (HR 0,49 (95% CI 0.34–0.69; P<0.0001), assim como o benefício no subgrupo com deficiência de recombinação homóloga (HR 0.63 (95% CI 0.52–0.76; P<0,0001) e na população por intenção de tratar (HR 0.68, 95% CI 0.54–0.86). A combinação também foi numericamente superior no braço 2 vs braço 1 (população ITT), embora não tenha alcançado significância estatística (Tabela).

Os resultados mostram benefício clínico e estatisticamente significativo da combinação de durvalumabe + olaparibe. Para pacientes HRD+, a SLP foi de 37,3 meses versus 23 meses para aqueles no braço de tratamento padrão. Para pacientes na população com intenção de tratar, a SLP foi de 24,2 meses no braço de olaparibe versus 19,3 para aqueles no braço de tratamento padrão.

“No braço durvalumabe + olaparibe, o risco de progressão da doença foi 51% menor em pacientes com tumores HRD-positivos e 37% menor para os pacientes com intenção de tratar, em comparação com o braço de tratamento padrão. O risco de progressão da doença foi 32% menor em todos os subgrupos, incluindo pacientes positivos e negativos para HRD, em comparação com o braço de tratamento padrão”, destacam os autores,

Em relação ao perfil de segurança, eventos adversos graves foram relatados em 34% dos pacientes no braço de tratamento padrão, 43% no braço durvalumabe e em 39% dos pacientes no braço olaparibe. Cerca de 90% dos pacientes completaram os regimes do estudo.

“Embora tenha havido progresso significativo para pacientes com câncer de ovário avançado, ainda permanece uma necessidade não atendida. Nossos resultados fornecem evidências encorajadoras de que podemos encontrar novas abordagens de tratamento para pacientes com doença avançada”, disse Philipp Harter, principal investigador do estudo DUO-O.

Estima-se que 19.710 novos casos de câncer de ovário serão diagnosticados nos Estados Unidos em 2023, com cerca de 13.270 mortes pela doença. Apenas 20% de todos os casos de câncer de ovário são diagnosticados precocemente. Quando a doença é detectada no estágio III ou superior, as taxas de sobrevida podem ser tão baixas quanto 30%. Cerca de metade das pacientes diagnosticadas com câncer de ovário têm 63 anos ou mais.

Pilar observa que o estudo DUO-O traz um resultado muito interessante para as pacientes com câncer de ovário, sem mutação em BRCA, independente da presença ou não de deficiência de recombinação homóloga (HDR). "O objetivo principal foi alcançado, aumento da SLP, com redução do risco em 37% no grupo com HDR e 32% no grupo não HDR, uma população de prognóstico mais reservado", diz. "Entretanto, algumas questões permanecem em aberto. A primeira é se o ganho em SLP vai realmente se traduzir em ganho de sobrevida global, os dados ainda são imaturos, não há como ter certeza. Seria muito importante identificar qual o perfil molecular das pacientes não HDR que se beneficiaram do tratamento, um trabalho para o futuro. E, finalmente, a magnitude do benefício do durvalumabe não está clara, pois não temos um braço só com olaparibe na manutenção", pondera. "Sem dúvida, é um estudo importante que traz benefícios para uma população que ainda tem necessidades não atendidas", conclui a oncologista.

 

Arm 1

PC + bev

Arm 2

PC + bev + durva

Arm 3

PC + bev + durva + ola

HRD+ PFS events, n/N (%)

86/143 (60)

69/148 (47)

49/140 (35)

Median PFS, mo

23.0

24.4

37.3

HR (95% CI)*

 

0.83 (0.60–1.14)

0.49 (0.34–0.69)

P<0.0001

18 mo PFS, %

69

76

84

ITT PFS events, n/N (%)

259/378 (69)

226/374 (60)

193/378 (51)

Median PFS, mo

19.3

20.6

24.2

HR (95% CI)*

 

0.87 (0.73–1.04)
P=0.1312

0.63 (0.52–0.76)
P<0.0001

18 mo PFS, %

55

56

71

*vs Arm 1

     

Este estudo está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov: NCT03737643

Referência: LBA5506 - Durvalumab with paclitaxel/carboplatin (PC) and bevacizumab (bev), followed by maintenance durvalumab, bev, and olaparib in patients (pts) with newly diagnosed advanced ovarian cancer (AOC) without a tumor BRCA1/2 mutation (non-tBRCAm): Results from the randomized, placebo (pbo)-controlled phase III DUO-O trial.
First Author: Philipp Harter, MD, PhD
Meeting: 2023 ASCO Annual Meeting
Session Type: Oral Abstract Session
Session Title: Gynecologic Cancer
Track: Gynecologic Cancer
Subtrack: Ovarian Cancer
Abstract #: LBA5506

 

Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519