19042024Sex
AtualizadoSex, 19 Abr 2024 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

SAN ANTONIO 2022

Interrupção da terapia endócrina para gravidez não aumenta taxa de recorrência em curto prazo

gravidez bxPacientes com câncer de mama que interromperam a terapia endócrina para tentar engravidar apresentaram taxas de recorrência do câncer de mama em curto prazo semelhantes às mulheres que não interromperam a terapia para a gravidez, e muitas tiveram bebês saudáveis, de acordo com os resultados do ensaio clínico POSITIVE apresentado no San Antonio Breast Cancer Symposium (SABCS 2022).

“Embora o câncer de mama seja mais comumente diagnosticado em mulheres de meia-idade e mais velhas, nos Estados Unidos, cerca de 5% dos novos diagnósticos a cada ano ocorrem em mulheres com 40 anos ou menos. Essas pacientes mais jovens enfrentam algumas considerações únicas, incluindo fertilidade”, disse Ann Partridge, vice-presidente de oncologia médica no Dana-Farber Cancer Institute, professora de medicina na Harvard Medical School e principal autora do estudo. “Quarenta a 60% das pacientes diagnosticadas com câncer de mama aos 40 anos ou menos estão preocupadas com sua fertilidade futura, especialmente se a doença ocorrer antes que elas possam decidir se querem ser mães ou não”, acrescentou.

Mulheres jovens com câncer de mama receptor hormonal positivo em estágio inicial são frequentemente tratadas com terapia endócrina, como supressão da função ovariana, inibidores de aromatase ou moduladores seletivos de receptores de estrogênio. Para examinar o impacto da interrupção da terapia endócrina para tentar a gravidez, os pesquisadores projetaram o estudo clínico de braço único POSITIVE (Pregnancy Outcome and Safety of Interrupting Therapy for Women with Endocrine Responsive Breast Cancer).

POSITIVE é um estudo internacional de braço único, prospectivo, de iniciativa do investigador, que avalia a segurança e resultados gestacionais da interrupção da terapia endócrina em mulheres jovens com câncer de mama HR+ em estágio inicial que desejam engravidar. O objetivo primário é avaliar o risco de recidiva do câncer de mama associado à interrupção da terapia endócrina por aproximadamente 2 anos para alcançar a gravidez.

Foram elegíveis mulheres com 42 anos ou menos com câncer de mama HR+ estágio I-III BC que receberam terapia endócrina adjuvante (somente SERM, análogo de GnRH mais SERM ou AI) por 18 a 30 meses e desejavam interromper o tratamento para tentar engravidar. O estudo incluiu pacientes tratadas em 116 centros em 20 países; 23% da América do Norte, 61% da Europa e 16% dos países da Ásia/Pacífico e Oriente Médio. Um comitê de monitoramento de segurança de dados realizou três análises de segurança provisórias. Se mais de 46 recorrências de câncer de mama ocorressem em uma mediana de aproximadamente três anos de acompanhamento, o estudo seria suspenso. Este limiar não foi atingido.

Resultados

Entre dezembro de 2014 e dezembro de 2019, 518 mulheres foram incluídas no estudo. No momento da inscrição, a idade média dos participantes era de 37 anos (27-43 anos); 75% eram nulíparas, 93,4% tinham estágio I/II da doença, 66,3% linfonodos negativos.

O tempo médio desde o diagnóstico de câncer de mama até a inscrição foi de 29 meses (IQR: 25-32). O tamoxifeno isolado foi a terapia endócrina mais prescrita (41,7%), seguido de tamoxifeno + supressão da função ovariana (35,7%). 62,0% das participantes receberam quimioterapia neo/adjuvante.

Em um acompanhamento médio de 41 meses, 44 participantes tiveram recorrência do câncer de mama. A taxa de recorrência em três anos foi de 8,9% (95% CI: 6,3 a 11,6%), semelhante à taxa de 9,2% (95% CI: 7,6 a 10,8%) em uma coorte de controle externo dos ensaios SOFT/TEXT (Sun et al, Peito 2020), que examinou a terapia endócrina adjuvante em mulheres na pré-menopausa.

Entre as 497 mulheres acompanhadas quanto ao status de gravidez, 368 (74%) tiveram pelo menos uma gravidez e 317 (63,8%) tiveram pelo menos um filho, com um total de 365 bebês nascidos. Essas taxas de concepção e parto foram iguais ou superiores às taxas do público em geral. As participantes do estudo foram fortemente recomendadas a retomar a terapia endócrina após uma tentativa ou sucesso de gravidez. Até o momento, 76,3% retomaram a terapia (metade em 26 meses).

“O POSITIVE Trial fornece dados importantes para apoiar mulheres jovens com câncer de mama inicial HR-positivo que estão interessadas em engravidar e fazer uma pausa na terapia endócrina”, afirmaram os autores.

Em síntese, o estudo POSITIVE demonstrou que para mulheres jovens com câncer de mama inicial HR+ que desejam engravidar, a interrupção temporária da terapia endócrina não confere maior risco de recorrência a curto prazo do que o observado em um grupo de controle que não interrompeu a terapia endócrina. A maioria das participantes teve uma gestação de sucesso.

“A gravidez após o câncer de mama é uma decisão muito pessoal para a qual, idealmente, a mulher deve levar em consideração não apenas seu desejo de engravidar, mas também sua fertilidade inicial, tratamento anterior e atual e qualquer estratégia de preservação da fertilidade que ela possa ter seguido, bem como o risco subjacente de recorrência do câncer que ela enfrenta”, concluíram os autores.

Os pesquisadores continuam a acompanhar as participantes do estudo para avaliar o risco de recorrência ao longo do tempo. “O curto acompanhamento até o momento é uma limitação do estudo, pois o câncer de mama HR-positivo pode apresentar recorrência muitos anos após o diagnóstico inicial”, observaram.

O estudo é patrocinado e conduzido pelo International Breast Cancer Study Group (IBCSG), uma divisão da ETOP-IBCSG Partners Foundation, e pela Alliance for Clinical Trials in Oncology in North America, em colaboração com o Breast International Group (BIG).

Referência: Abstract GS4-09 - Pregnancy Outcome and Safety of Interrupting Therapy for women with endocrine responsIVE breast cancer: Primary Results from the POSITIVE Trial (IBCSG 48-14 / BIG 8-13) - Presenting Author: Ann Partridge, MD, MPH – Dana-Farber Cancer Institute

 
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519