14042024Dom
AtualizadoSex, 12 Abr 2024 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

ASH 2022

Isatuximabe mostra resultados no mieloma múltiplo de alto risco

sangue ash22Estudo de Fase II (CONCEPT) destacado no programa do ASH 2022 apresentou resultados da primeira análise interina pré-planejada avaliando o regime quádruplo no mieloma múltiplo de alto risco recém-diagnosticado, compreendendo a adição do anticorpo isatuximabe (Isa) à combinação de carfilzomibe (K), lenalidomida (R) e dexametasona (d).

Dados emergentes mostram que a negatividade da doença residual mínima (MRD) está associada a um melhor resultado em pacientes com mieloma múltiplo de alto risco e vários ensaios clínicos demonstraram que a adição do anti-CD38 isatuximabe ao tratamento padrão melhora significativamente a negatividade da MRD, a taxa de resposta e a sobrevida dos pacientes.

Neste estudo multicêntrico de fase II (CONCEPT), os pesquisadores avaliaram o regime quádruplo, considerando isatuximabe mais KRd (Isa-KRd) em pacientes com mieloma múltiplo de alto risco recém diagnosticados, em indução e consolidação, incluindo altas doses de melfalano (M) para pacientes elegíveis para transplante (TE). A análise apresentada no ASH considerou o principal endpoint primário, a negatividade da MRD, tanto após a consolidação para pacientes elegíveis ao transplante (TE), quanto a análise final de pacientes não elegíveis ao transplante (TNE).

Foram incluídos 153 pacientes com mieloma múltiplo de alto risco recém diagnosticados. De acordo com o desenho do estudo, 99 de 127 pacientes TE no braço A foram incluídos na população com intenção de tratar da análise interina planejada (TE-ITT-IA), enquanto o braço B (TNE-ITT) considerou dados de 26 pacientes TNE.

Mieloma múltiplo de alto risco foi definido pela presença de del17p ou t(4;14) ou t(14;16) ou > 3 cópias 1q21 em combinação com ISS 2 ou 3 estágios da doença.

Os pacientes receberam 6 ciclos de indução de Isa-KRd, seguidos de HDM para aqueles TE ou 2 ciclos de Isa-KRd para pacientes TNE, 4 ciclos de consolidação de Isa-KRd e manutenção de Isa-KR. O endpoint primário é a negatividade MRD no final da consolidação medida por fluxo de próxima geração no limite mínimo de sensibilidade de 10-5 (H0: MRD-neg-rate ≤ 50% (TE) e ≤ 30% (TNE). O endpoint secundário é a sobrevida livre de progressão (SLP), endpoints terciários incluem taxa de resposta global (ORR) e segurança.

Resultados

De agosto de 2017 a abril de 2020, foram incluídos 125 pacientes (99 TE-ITT-IA, 26 TNE-ITT) na população IA em 17 centros alemães. Com base nos critérios de inclusão, todos os pacientes apresentavam citogenética de alto risco, incluindo del17p em 55 pacientes (44,0%), t(4;14) em 48 (38,4%), t(14;16) em 19 (15,2%) e > 3 cópias 1q21 em 45 pts (36,0%). 38 pts (30,4%) tinham ≥ 2 aberrações de FC. Os autores descrevem que 66 pacientes (52,8%) tinham doença ISS 2 e 58 (46,4%) ISS 3. A idade mediana (intervalo) foi de 58 (35-73) anos no TE-ITT-IA e 74 (64-87) anos no TNE-ITT.

De acordo com o protocolo, a análise MRD foi realizada em 93 pacientes no TE-ITT-IA e 24 pacientes no TNE-IA. No final da consolidação, 67,7% (n=63) dos pacientes na população TE-ITT-IA eram MRD negativos, 3,2% (n=3) MRD positivos, 24,7% (n=23) ponto de tempo não alcançado, 4,3% (n=4) ausente (4 pacientes não avaliáveis, 2 não iniciaram). Na população TNE-ITT, 54,2% (n=13) dos pacientes eram MRD negativos, 0% MRD positivos, 45,8% (n=11) ponto de tempo não atingido.

Os resultados apresentados no ASH 2022 mostram que o endpoint primário foi alcançado significativamente em ambos os braços do estudo (p = 0,0004 para TE-ITT-IA ep=0,012 para TNE-ITT). A ORR (melhor resposta ao tratamento) no TE-ITT-IA foi de 94,9% (n=94) com 72,7% mostrando remissão completa (CR) ou melhor (n=72), 18,2% (n=18) remissão parcial muito boa (VGPR), 4% (n=4) remissão parcial (PR), 1% (n=1) doença progressiva (DP) e 4% (n=4) ponto de tempo não alcançado. No TNE-ITT, 57,7% (n=15) apresentaram CR ou melhor 30,8% (n=8) VGPR, 3,8% (n=1) eram desconhecidos e 7,7% (n=2) não atingiram o ponto de tempo.

Em relação à análise de segurança, foram avaliados 122 pacientes. No total, 85,2% (n=104) desenvolveram eventos adversos emergentes do tratamento (TEAEs) de grau ≥ 3. TEAEs graves ocorreram em 64,8% (n=79) dos pacientes. TEAEs que levaram à descontinuação do tratamento do estudo ocorreram em 5 pacientes da população avaliada.

“O estudo CONCEPT é o primeiro a investigar Isa-KRd para pacientes com mieloma múltiplo de alto risco recém diagnosticados, em pacientes elegíveis e não elegíveis ao transplante. Isa-KRd na indução e consolidação leva a altas taxas de negatividade de MRD após a consolidação nesta população difícil de tratar. A toxicidade foi consistente com as expectativas e nenhum novo sinal de segurança ocorreu nesta análise interina.

Em nossa opinião, nossos dados sublinham a importância do tratamento quádruplo otimizado em NDMM, especialmente na doença de alto risco”, concluem os autores.

O estudo CONCEPT está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov (NCT03104842) e está recrutando uma coorte de extensão de pacientes elegíveis ao transplante. 

Referência: 759 Isatuximab, Carfilzomib, Lenalidomide, and Dexamethasone (Isa-KRd) in Patients with High-Risk Newly Diagnosed Multiple Myeloma: Planned Interim Analysis of the GMMG-Concept TrialClinically Relevant Abstract
Program: Oral and Poster Abstracts
Type: Oral
Session: 653. Myeloma and Plasma Cell Dyscrasias: Prospective Therapeutic Trials: Risk-adapted Treatment Strategies in Myeloma and Related Conditions
Monday, December 12, 2022: 11:00 AM
Katja C. Weisel, MD et al

Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519