30062022Qui
AtualizadoQua, 29 Jun 2022 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

2022

Características clínicas e epidemiológicas do carcinoma espinocelular de pênis

daniel preto 22O oncologista Daniel Preto (foto) é primeiro autor de estudo selecionado para publicação eletrônica no ASCO 2022 que descreve as características clínicas e epidemiológicas do carcinoma espinocelular de pênis de acordo com o estádio patológico nodal no Hospital de Câncer de Barretos.

“O câncer de pênis é uma doença rara em todo o mundo, mas nos países em desenvolvimento representa 2% dos tumores masculinos, e as questões socioculturais estão intimamente relacionadas ao risco. O status dos linfonodos é um fator prognóstico chave, e quase 60% dos pacientes têm doença linfonodal ao diagnóstico. O tratamento perioperatório para pacientes com doença linfonodal regional é essencial para um melhor resultado”, esclarecem os autores.

Nesse estudo, os pesquisadores revisaram retrospectivamente todos os pacientes com câncer de pênis, com confirmação histológica, tratados entre 2009 e 2019 no Hospital de Câncer de Barretos. Foram incluídos apenas carcinomas de células escamosas que realizaram linfadenectomia. Análises univariadas ​​foram realizadas para explorar a associação entre características clínicas e patológicas. As probabilidades cumulativas de sobrevida foram calculadas pelo método de Kaplan-Meier e as diferenças entre as sobrevidas foram testadas pelo teste log-rank.

Resultados

Cento e treze pacientes foram elegíveis para análise. A mediana de idade foi de 55,7 anos. A maioria dos pacientes se declarou branca, em união estável e com menor escolaridade, com mais de 70% dos pacientes cursando apenas o ensino fundamental. A concordância do estadiamento clínico-patológico foi de 43%. A sobrevida global foi relacionada ao estadiamento patológico do linfonodo (pN), variando de 111 meses para indivíduos pN0 a 46,9 meses para pN3 (p < 0,001).

Considerando apenas os estágios pN2-3, apenas 54% dos pacientes foram submetidos a tratamento adjuvante e apresentaram melhora significativa da sobrevida cumulativa em 5 anos, quase 50% versus 20% (p = 0,027). Apenas um paciente foi submetido à terapia neoadjuvante.

“O perfil epidemiológico condiz com a literatura atual, reafirmando esse problema de saúde pública em países de baixa renda. O estadiamento linfonodal preciso é essencial para definir o prognóstico e uma abordagem multimodal agressiva pode melhorar os resultados no cenário metastático nodal perioperatório. Outros estudos prospectivos controlados devem ser estimulados neste contexto”, concluíram os autores.

Referência: Clinical and epidemiological features of penile squamous cell carcinoma according to pathological nodal stage in a Brazilian cancer reference hospital.
First Author: Daniel D Almeida Preto
Meeting: 2022 ASCO Annual Meeting
Session Type: Publication Only
Session Title: Genitourinary Cancer—Prostate, Testicular, and Penile
Track: Genitourinary Cancer—Prostate, Testicular, and Penile
Sub Track: Genitourinary Cancer—Prostate, Testicular, and Penile
Citation: J Clin Oncol 40, 2022 (suppl 16; abstr e17017)
DOI: 10.1200/JCO.2022.40.16_suppl.e17017
Abstract #: e17017

 
Publicidade
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
FARMAUSA
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519