30062022Qui
AtualizadoQua, 29 Jun 2022 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

2022

Brentuximabe vedotina no Linfoma de Hodgkin clássico

perini 21 bxNa oncohematologia, dados de brentuximabe-vedotina como primeira linha em pacientes com linfoma de Hodgkin clássico (LHc) estágio III/IV foram selecionados na sessão oral do ASCO 2022, em análise de 6 anos de acompanhamento do ensaio ECHELON-1. Os resultados corroboram o benefício de longo prazo, com redução estatisticamente significativa de 41% no risco de morte. O oncohematologista Guilherme Perini (foto), hematologista no Hospital Israelita Albert Einstein e coordenador da Hematologia do Grupo Américas, comenta os resultados.

Neste ensaio (NCT01712490), os pacientes elegíveis foram randomizados 1:1 para receber até 6 ciclos de brentuximabe vedotina, doxorrubicina, vinblastina e dacarbazina (A+AVD; n = 664) ou doxorrubicina, bleomicina, vinblastina e dacarbazina (ABVD; n = 670) no dia 1 e 15, a cada 28 dias. A sobrevida global (OS, do inglês overall survival) foi o principal endpoint secundário, orientado por intenção de tratar.

Dados já relatados de 5 anos de acompanhamento apoiaram o benefício de sobrevida livre de progressão (PFS, do inglês progression free survival) com A+AVD versus ABVD em pacientes com LHc estágio III/IV, independente do status da tomografia por emissão de pósitrons. A+AVD mostrou perfil de segurança gerenciável a longo prazo, com menos ocorrências de segundas malignidades e um número maior de gestações relatadas vs ABVD (Connors et al, NEJM 2018; Straus et al, Lancet Haematol 2021). No ASCO 2022, os autores destacam nálise de OS pré-especificada após aproximadamente 6 anos de acompanhamento (corte, 1º de junho de 2021). 

Resultados

Em um seguimento mediano de 73 meses, os autores descrevem que 39 e 64 eventos de OS ocorreram nos braços A+AVD e ABVD, respectivamente. O benefício de sobrevida global favoreceu significativamente A+AVD vs ABVD (HR 0,590; intervalo de confiança de 95% [IC] 0,396-0,879; p = 0,009). As taxas estimadas de OS em 6 anos (IC 95%) foram de 93,9% (91,6–95,5) vs 89,4% (86,6–91,7) com A+AVD vs ABVD, respectivamente. Houve benefício consistente de OS para A+AVD vs ABVD em subgrupos pré-especificados. A estimativa de PFS em 6 anos foi de 82,3% (79,1–85,0) vs 74,5% (70,8–77,7) com A+AVD vs ABVD, respectivamente (HR 0,678 [IC 95% 0,532–0,863]).

Em relação ao perfil de segurança, A+AVD e ABVD foram comparáveis. A neuropatia periférica emergente do tratamento continuou a resolver ou melhorar em ambos os braços, com 86% (379/443) e 87% (249/286) dos casos nos braços A+AVD e ABVD com resolução completa (72% vs 79%) ou melhorando (14% vs 8%) no último acompanhamento. Menos malignidades secundárias foram relatadas no braço A+AVD vs ABVD (23 vs 32). Mais pacientes do sexo feminino relataram gravidez (49 vs 28) ou nascidos vivos (42 vs 19 no sexo feminino) no braço A+AVD vs ABVD; nenhum natimorto foi relatado. Não foram identificados novos sinais de segurança.

“O tratamento A+AVD resultou em redução estatisticamente significativa de 41% no risco de morte vs ABVD, com perfil de segurança gerenciável e consistente com relatórios anteriores. Esses resultados confirmam A+AVD como opção preferencial para pacientes com HLc estágio III/IV sem tratamento prévio", afirmam os autores.

Perini observa que os dados são fortes e foram muito bem recebidos. “Era de se esperar um ganho de sobrevida global em algum momento nesse follow up mais longo, mas agora os dados são muito claros, mostrando que houve uma diferença de SG a favor do A-AVD. E essa diferença de SG foi muito significativa também quando olhamos as mortes por linfoma. É um estudo que teve poucas mortes nesse follow up de 6 anos. Mesmo o braço do ABVD teve quase 90% de SG em 6 anos. São dados que reforçam o impacto de brentuximabe em primeira linha”, ressalta.

Informações sobre ensaios clínicos: NCT01712490. 

Referência: First-line brentuximab vedotin plus chemotherapy to improve overall survival in patients with stage III/IV classical Hodgkin lymphoma: An updated analysis of ECHELON-1.
First Author: Stephen M. Ansell, MD, PhD
Meeting: 2022 ASCO Annual Meeting
Session Type: Oral Abstract Session
Session Title: Hematologic Malignancies—Lymphoma and Chronic Lymphocytic Leukemia
Track: Hematologic Malignancies—Lymphoma and Chronic Lymphocytic Leukemia
Subtrack: Hodgkin Lymphoma
Abstract #: 7503
Clinical Trial Registry Number: NCT01712490
Citation: J Clin Oncol 40, 2022 (suppl 16; abstr 7503)
DOI: 10.1200/JCO.2022.40.16_suppl.7503

Publicidade
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
FARMAUSA
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519