28112021Dom
AtualizadoSáb, 27 Nov 2021 11pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ESMO 2021

DESTINY-Gastric02: Trastuzumabe-deruxtecan demonstra resultados no câncer gástrico avançado HER2-positivo

rivadavio 2020Apresentado no ESMO 2021, o estudo de Fase II DESTINY-Gastric02 avaliou pela primeira vez a eficácia do conjugado anticorpo-droga anti- HER2 trastuzumabe-deruxtecan (TDXd) em pacientes ocidentais com câncer gástrico avançado ou adenocarcinoma de junção gastroesofágica (JEG) HER2-positivo tratados previamente com um regime contendo trastuzumabe. “Os resultados mostram uma taxa de resposta bem estabelecida e reforçam a eficácia e segurança em pacientes com uso de TDXd em segunda linha”, avalia o oncologista Rivadávio Antunes de Oliveira (foto), coordenador da residência médica do Hospital do Câncer de Londrina.

“O câncer gástrico é associado a um prognóstico ruim, particularmente em estágios mais avançados. Aproximadamente 5 a 10 % dos casos que são metastáticos, estão vivos em 5 anos. Cerca de um em cada cinco casos são HER2 positivos. Após progressão em primeira linha (no HER2+), as opções terapêuticas em segunda linha são bastante limitadas, levando a uma necessidade de terapias novas anti-HER2 neste cenário”, esclarece Oliveira.

No DESTINY-Gastric01, o conjugado anticorpo-droga melhorou a resposta e a sobrevida global em comparação com irinotecano/paclitaxel em pacientes orientais que progrediram após ≥2 linhas anteriores de terapia incluindo trastuzumabe. Agora, no congresso europeu, foram relatados os resultados do estudo de Fase II, braço único, DESTINY-Gastric02, o primeiro a avaliar T-DXd na segunda linha em pacientes ocidentais com câncer gástrico/JEG HER2+.

No estudo, pacientes com câncer gástrico avançado ou adenocarcinoma de JEG irressecável/metastático, HER2-positivo confirmado centralmente (IHC3+ ou IHC2+/ISH+, com biópsia após terapia à base de trastuzumabe) que progrediram durante ou após terapia de primeira linha com trastuzumabe foram tratados com T-DXd 6,4 mg/kg por via intravenosa a cada 3 semanas. O endpoint primário foi a taxa de resposta objetiva (ORR) confirmado por RECIST v1.1 por revisão central independente (ICR). Os desfechos secundários incluíram sobrevida livre de progressão (SLP), duração da resposta (DoR) por ICR e segurança.

Resultados

Entre dezembro de 2019 e abril de 2021, 79 pacientes norte-americanos e europeus com uma mediana de 1,0 (intervalo 1-2) terapia anterior foram tratados com T-DXd por uma mediana de 4,3 meses (intervalo 0,7-15,9). A duração média do acompanhamento foi de 5,7 meses (variação de 0,7-15,2). A idade média era 61 anos (intervalo de 20-78).

TDXd demonstrou uma taxa de resposta global confirmada (ORR) de 38%, conforme avaliado por revisão central independente (ICR). Três (3,8%) respostas completas (CR) e 27 (34,2%) respostas parciais (PR) foram observadas em pacientes tratados com TDXd.

Após um acompanhamento médio de 5,7 meses, a mediana de duração de resposta (DoR) de TDXd foi de 8,1 meses (95% CI 4,1-NE). A mediana de sobrevida livre de progressão (SLP) foi de 5,5 meses (95% CI 4,2-7,3). Foi observado um desfecho exploratório de taxa de controle de doença confirmada (DCR) de 81% (95% CI; 70,6-89,0).

T-DXd in pts with HER2+ gastric/GEJ adenocarcinoma

 

Pts (N =79)

Response Assessment

Confirmed ORR by ICR, n (%)

30 (38.0) 95% CI, 27.3-49.6

Complete response

3 (3.8)

Partial response

27 (34.2)

Stable disease

34 (43.0)

Progressive disease

13 (16.5)

Not evaluable

2 (2.5)

Median PFS, mo

5.5 (95% CI, 4.2-7.3)

Median  DoR, mo

8.1 (95% CI, 4.1-NE)

Median time to response, mo

1.4 (95% CI, 1.4-2.6)

Safety, n (%)

Any TEAE

79 (100)

Grade 3

40 (50.6)

Associated with dose discontinuation

12 (15.2)

Associated with dose reduction

19 (24.1)

Associated with dose interruption

17 (21.5)

     


O perfil de segurança foi consistente com o observado em DESTINY-Gastric01. Os TEAEs mais comuns foram náuseas (66%), vômitos (42%) e fadiga (41%). Os eventos adversos emergentes do tratamento relacionados ao medicamento de Grau 3 ou superior mais comuns observados no DESTINY-Gastric02 foram anemia (7,6%), neutropenia (7,6%), náusea (3,8%) e fadiga (3,8%).

Houve seis casos (7,6%) de doença pulmonar intersticial (DPI) relacionada ao tratamento ou pneumonite relatados, conforme determinado por um comitê de julgamento independente. A maioria (83%) era de baixo grau (grau 1 ou grau 2), com um grau 5 (DPI ou morte relacionada com pneumonite).

Em conclusão, T-DXd demonstrou eficácia clínica e um perfil de segurança administrável no tratamento de segunda linha de pacientes ocidentais com câncer gástrico ou de JEG HER2+ irressecável e/ou metastático.

“Os resultados encorajadores do estudo são consistentes com o trial DestinyGastric01, porém, necessitamos de estudos mais maduros para conclusões mais assertivas quanto a indicação no cenário apresentado”, conclui Oliveira.

O estudo foi financiado pela Daiichi Sankyo, Inc. e AstraZeneca (NCT04014075).

Referência: LBA55 Primary analysis of a phase II single-arm trial of trastuzumab
deruxtecan (T-DXd) in western patients (Pts) with HER2-positive (HER2+) unresectable or metastatic gastric or gastroesophageal junction (GEJ) cancer who progressed on or after a trastuzumab-containing regimen - E. van Cutsem, M. Di Bartolomeo, E. Smyth, I. Chau, H. Park, S. Siena, S. Lonardi, Z.A. Wainberg, J.A. Ajani, J. Chao1, J. Seraj, Y. Kawaguchi, A. Qin, J. Singh, G. Meinhardt, G. Ku

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519