17092021Sex
AtualizadoSex, 17 Set 2021 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO GU 2021

CAPItello-281: capivasertib no CPHSm com deficiência de PTEN

karim fizazi NET OK 1Karim Fizazi (foto), oncologista do Institute Gustave Roussy, em Villejuif, França, é primeiro autor do estudo de Fase III CAPItello-281, selecionado para a sessão de pôster Trials in Progress, que busca avaliar capivasertibe em combinação com abiraterona no tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático hormônio sensível (CPHSm) com deficiência de PTEN.

No câncer de próstata metastático hormônio-sensível (mHSPC), a abiraterona combinada com a terapia de privação de androgênio (ADT) é altamente eficaz na melhoria dos resultados dos pacientes. No entanto, cerca de 20% dos pacientes evoluem para doença resistente à castração dentro de 12 meses de tratamento, e esses pacientes têm sobrevida menor curta e opções de tratamento limitadas.

A ativação aberrante da via PI3K/AKT, predominantemente devido à perda de PTEN, é comum no câncer de próstata, especialmente na doença em estágio avançado. A sinalização do receptor de andrógeno e a via de AKT são reciprocamente reguladas de forma cruzada, de modo que a inibição de uma leva à regulação positiva da outra. Portanto, a combinação da terapia de abiraterona com a inibição de AKT pode ser benéfica em pacientes com mHSPC com deficiência de PTEN.

Em estudos pré-clínicos, o capivasertib, um inibidor seletivo de pan-AKT oral, inibiu a proliferação de modelos de câncer de próstata hormônio-sensível e resistente à castração com perda de PTEN. Os resultados do estudo de Fase III IPATential150 (NCT03072238) demonstraram que outro inibidor de AKT oral, ipatasertib, prolongou a sobrevida livre de progressão radiográfica (rPFS) quando combinado com abiraterona em comparação com placebo mais abiraterona no câncer de próstata metastático resistente à castração, particularmente entre pacientes com perda de PTEN.

CAPItello-281 é um estudo multicêntrico, global, de Fase III, que pretende avaliar capivasertibe em combinação com abiraterona como tratamento de pacientes com mHSPC de novo com tumores deficientes em PTEN.

Métodos

Os pacientes elegíveis para este ensaio duplo-cego randomizado são homens com 18 anos ou mais com adenocarcinoma de próstata hormônio-sensível metastático não tratados previamente, com deficiência de PTEN confirmada por imuno-histoquímica e status ECOG 0 ou 1.

Após a triagem, aproximadamente mil pacientes serão randomizados 1: 1 para receber capivasertibe (400 mg) ou placebo (duas vezes ao dia; 4 dias on/3 dias off) em combinação com abiraterona (1000 mg uma vez ao dia) e ADT até a progressão radiográfica ou toxicidade intolerável.

O endpoint primário é rPFS. Endpoints secundários incluem sobrevida global, tempo para início da primeira terapia subsequente ou morte, sobrevida livre de eventos esqueléticos sintomáticos, tempo para progressão da dor e perfil de segurança. As inscrições começaram em julho de 2020.

O estudo é financiado pela AstraZeneca Pharmaceuticals e está registrado em ClinicalTrials.Gov, NCT04493853

Referência: Abstract #TPS178 - A phase III trial of capivasertib and abiraterone versus placebo and abiraterone in patients with de novo metastatic hormone-sensitive prostate cancer characterized by PTEN deficiency (CAPItello-281). – Karim Fizazi et al - J Clin Oncol 39, 2021 (suppl 6; abstr TPS178) - DOI: 10.1200/JCO.2021.39.6_suppl.TPS178

 

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519