06032021Sáb
AtualizadoSex, 05 Mar 2021 5pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO GI 2021

S-1 mais docetaxel adjuvante no câncer gástrico estágio III

cancer gastrico 21 bxUma análise pré-planejada do estudo JACCRO GC-07 avaliou a sobrevida livre de recidiva em 3 anos de pacientes com câncer gástrico estágio III tratados com S-1 e docetaxel submetidos à gastrectomia D2 sem quimioterapia neoadjuvante. Os resultados selecionados para apresentação oral no ASCO GI 2021 confirmam a eficácia da combinação.

JACCRO GC-07 é um ensaio clínico randomizado que avaliou S-1/docetaxel pós-operatório em comparação com S-1 isolado após gastrectomia D2 para pacientes com câncer gástrico (GC) estádio III. A segunda análise intermediária demonstrou superioridade significativa de sobrevida livre de recidiva (RFS) com a combinação.

O estudo foi encerrado por recomendação do Comitê de Monitoramento de Segurança de Dados Independentes e os resultados foram relatados no ASCO 2018 e publicados no Journal of Clinical Oncology (Yoshida K et al. 2019; 37: 1296-1304). A apresentação no ASCO GI traz dados atualizados dos pacientes três anos após a conclusão do recrutamento do estudo.

Após a gastrectomia D2, os pacientes com câncer gástrico estádio III foram aleatoriamente designados para receber S-1/docetaxel (S-1 80-120 mg nos dias 1-14 com um descanso de 7 dias, seguido por docetaxel 40mg/m2 no dia 1 e S-1 80-120mg/corpo nos dias 1-14 a cada 21 dias por 6 ciclos, seguido por S-1 80-120mg nos dias 1-28 a cada 42 dias por 4 ciclos) ou S-1 (80-120 mg/corpo nos dias 1-28 a cada 42 dias por 8 ciclos).

A randomização dos blocos foi realizada por sistema computadorizado interativo central estratificado por estágio (IIIA, IIIB, IIIC) e tipo histológico (diferenciado ou indiferenciado). O endpoint primário foi a SLR  em 3 anos. Endpoints secundários incluíram sobrevida global (SG), tempo até falha do tratamento (TTF) e segurança.

Na análise apresentada no ASCO GI, após um acompanhamento médio de 42,5 meses (0,3-85,16), 400 recorrências e 324 mortes foram confirmadas entre 912 pacientes. A SLR em 3 anos de 67,7% no grupo S-1/docetaxel foi significativamente superior a 57,4% no grupo S-1 (HR 0,715, 95% CI: 0,587-0,871, p = 0,0008). A SG em 3 anos foi 77,7% no grupo S-1/docetaxel e 71,2% no grupo S-1 (HR 0,742, 95% CI: 0,596-0,925, p = 0,0076), confirmando a superioridade da combinação.

“Os dados apresentados do JACCRO GC-07 confirmaram a superioridade em SLR, que se traduziu em um ganho de 6% na SG em 3 anos, sendo padrão nos países orientais onde o S1 é disponível”, observa Tiago Biachi de Castria (foto), oncologista do ICESP e do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

“No futuro, seria interessante termos os dados de prevalência de instabilidade de microssatélites nessa população, uma vez dados que crescentes têm associado essa variável à ausência de beneficio da adjuvância. Além disso, tais resultados trazem à tona a discussão do papel da intensificação do tratamento sistêmico adjuvante no ocidente nesta população com linfonodo positivo”, acrescenta.  

O estudo foi financiado pela Japan Clinical Cancer Research Organization.

Informações do ensaio clínico: UMIN 000010337.

Referência: Abstract #: 159 Oral Abstract Session: Esophageal and Gastric Cancer - Confirmed three-year RFS and OS of the randomized trial of adjuvant S-1 versus S-1 plus docetaxel after curative resection of pStage III gastric cancer (JACCRO GC-07). - J Clin Oncol 39, 2021 (suppl 3; abstr 159)

First Author: Kazuhiro Yoshida, FACS, PhD, MD

Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519