02082021Seg
AtualizadoDom, 01 Ago 2021 10pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO 2021

Câncer e COVID-19 – impacto em profissionais da oncologia e na assistência ao paciente

casal bergerot 2021Os brasileiros Cristiane Decat Bergerot (psicóloga) e Paulo Gustavo Bergerot (oncologista), do Centro de Câncer de Brasília (CETTRO), são coautores sênior de dois estudos selecionados para o programa científico do ASCO 2021, fruto de uma parceria de colaboração científica internacional com o grupo DumaLab.

O estudo1 avaliou o impacto do COVID-19 na satisfação relacionada ao trabalho e fadiga entre os profissionais de saúde em oncologia na América Latina após o início da pandemia do COVID-19, dimensionado os problemas vivenciados pela comunidade de profissionais em oncologia e de possíveis estratégias para um enfrentamento adequado. “A pandemia trouxe novos desafios aos profissionais de saúde que impactam diretamente na qualidade de vida. O estresse e desgaste destes profissionais que estão em potencial risco incluem fatores como o risco inerente dos pacientes oncológicos à pandemia, o inevitável aumento da carga de trabalho, recursos e conhecimento ainda limitados e em construção para este cenário, além dos desafios pessoais destes profissionais”, destacam os autores.  

Este estudo transversal internacional utilizou um survey online anônimo em espanhol, português e inglês. O questionário incluiu 43 questões de múltipla escolha. A amostra foi estratificada por tipo de provedor de serviço oncológico (OP), considerando os que tratam pacientes com COVID-19 versus aqueles que não tratam pacientes com COVID-19. Oncologistas clínicos representaram 46% dos respondentes, seguidos por 25% de cirurgiões oncológicos. Entre os entrevistados, 56% já haviam tratado pacientes com COVID-19. Os dados foram analisados ​​com estatística descritiva e testes de Qui-quadrado. 

Resultados

Um total de 704 OP de 20 países latino-americanos completaram a pesquisa (77% de 913 que iniciaram a pesquisa). Os oncologistas representaram 46% dos entrevistados, seguidos por 25% dos cirurgiões oncológicos. Dos entrevistados, 56% trataram pacientes com COVID-19. Uma proporção significativa de OP relatou a adoção da telemedicina durante a pandemia de COVID-19 (14% vs 72%, p = 0,001). Mais da metade (58%) dos OP relataram mudanças nos tratamentos oferecidos aos pacientes com câncer. Conforme mostrado na tabela, cuidar de pacientes com COVID-19 influenciou significativamente os padrões de prática de OP.

Os autores descrevem que o acesso a serviços e procedimentos especializados foi significativamente reduzido: 40% observaram diminuição significativa ou nenhum acesso a exames de imagem, 20% diminuíram significativamente a biópsia ou não tiveram acesso a qualquer biópsia, 65% relataram atrasos em encaminhamentos de oncologia cirúrgica e 49% em encaminhamentos de radioterapia. A grande maioria (82%) relatou que as cirurgias oncológicas foram adiadas ou canceladas, o que aumentou entre aqueles que tratavam de pacientes com COVID-19 (87% vs 77%, p = 0,001).

O trabalho mostra que a pandemia de COVID-19 afetou significativamente a forma como o tratamento do câncer é prestado em todo o mundo, revelando interrupção significativa e possível subtratamento de pacientes com câncer na América Latina.

“Os resultados demonstraram que fadiga e insatisfação com a vida profissional foram prevalentes entre os profissionais de saúde em oncologia na América Latina, sendo observadas taxas significativamente altas de fadiga relacionadas ao trabalho em profissionais com pacientes que experimentaram atrasos no tratamento do câncer e também entre profissionais do sexo feminino. Os dados deste estudo sugerem a necessidade de um correto suporte ao profissional de saúde em oncologia, especialmente porque os desafios atuais tendem a se prolongar mesmo com uma eventual resolução da pandemia”, afirmam os pesquisadores. 

Impacto no atendimento

Outro estudo2 apresentado no ASCO 2021 buscou descrever os desafios que o profissional de saúde em oncologia enfrentou no tratamento oncológico durante o período de crescimento da pandemia COVID-19 na América Latina.

De acordo com o trabalho, uma proporção significativa de profissionais relatou adoção da telemedicina durante COVID-19 (14% vs 72%, p = 0,001). Mais da metade (58%) relataram mudanças nos tratamentos oferecidos aos pacientes com câncer. “A atenção aos pacientes com COVID-19 influenciou significativamente os padrões de prática de clínica, e o acesso a serviços e procedimentos especializados foi significativamente reduzido: 40% notaram uma redução significativa ou nenhum acesso a imagens, 20% diminuíram significativamente ou nenhum acesso a biópsias, 65% relataram atrasos em encaminhamentos de oncologia cirúrgica e 49% em encaminhamentos de oncologia por radiação. A grande maioria (82%) relatou que as cirurgias oncológicas foram adiadas ou canceladas, o que aumentou entre aqueles que tratavam de pacientes com COVID-19 (87% vs 77%, p = 0,001)”, destacam os pesquisadores.

O estudo aponta que há interrupção significativa e possível subtratamento de pacientes com câncer na América Latina como resultado do COVID-19. “Embora seja notório que a pandemia COVID-19 afetou significativamente a forma como o tratamento do câncer é prestado em todo o mundo, mudanças ou adaptações na prática clínica são necessárias como resposta a esta crise global no intuito de se evitar potencial prejuízo ao paciente oncológico”, concluem os autores.

Os trabalhos são fruto de uma parceria de colaboração científica internacional com o grupo DumaLab, liderado pela oncologista Narjust Duma, diretora associada do programa de equidade de assistência oncológica e professora de medicina no Dana-Farber Cancer Institute/Harvard Medical School. Cristiane e Paulo Bergerot são os correspondentes oficiais deste grupo no Brasil, como publicado na seção Commentary do periódico Cancer Cell em novembro de 2020 [Cancer Cell. 2020 Nov 9;38(5):605-608].

Referências:

1 - Abstract 11014 – Impact of COVID-19 on work-related fatigue and satisfaction among oncology providers in Latin America: An analysis of the HOLA COVID-19 study. - Citation: J Clin Oncol 39, 2021 (suppl 15; abstr 11014) - DOI: 10.1200/JCO.2021.39.15_suppl.11014
Session Type: Poster Discussion Session - Professional Development and Education Advances

2 - The HOLA COVID-19 study: Evaluating the impact of caring for patients with COVID-19 on cancer care delivery in Latin America. - Citation: J Clin Oncol 39, 2021 (suppl 15; abstr 1537) - DOI: 10.1200/JCO.2021.39.15_suppl.1537
Session Type: Poster Session - Care Delivery and Regulatory Policy

 

Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519