27092021Seg
AtualizadoSex, 24 Set 2021 3pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

2021

Estudo de mundo real compara regimes de tratamento no carcinoma anal de células escamosas localizado

rachel riechelmann 2021 bxLiderado pela oncologista Rachel Riechelmann (foto), estudo do Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG) e do LACOG utiliza dados de mundo real para avaliar os efeitos de diferentes regimes de tratamento na resposta clínica completa, sobrevida livre de doença e sobrevida livre de colostomia de pacientes com carcinoma anal de células escamosas localizado estágios I-III. O trabalho foi selecionado para apresentação em pôster no ESMO 2021.

A mitomicina tem sido cada vez mais substituída por cisplatina durante a quimiorradiação para pacientes com carcinoma anal de células escamosas (SCCA) localizado em países onde a mitomicina não está disponível.

O estudo GTG-LACOG 1318 é uma coorte retrospectiva multicêntrica brasileira de pacientes com SCCA que avalia os efeitos do regime de tratamento Nigro (Fluoruracila + Mitomicina + Radioterapia) vc ACT-II ((cisplatina + fluoropirimidina) na resposta clínica completa (cCR), sobrevida livre de doença (DFS) e sobrevida livre de colostomia (CFS) de pacientes com doença estágios I-III. As variáveis ​​independentes foram sexo, idade, comorbidades, regime de tratamento e estágio clínico.

Resultados

Entre abril de 2010 e agosto de 2020, 148 pacientes foram submetidos à quimiorradiação (CRT) definitiva: a mediana de idade foi de 59 anos, 123 (83,1%) pacientes eram do sexo feminino, 77 (52,3%) apresentavam doença estágios I/II e 70 (47,6%) estágio III. A técnica de radioterapia (RT) foi IMRT para 103 pacientes (69,6%), radioterapia 3D convencional para 37 pacientes (25%) e radioterapia 2D para 8 (5,4%) pacientes.

O tratamento foi concluído conforme planejado por 132 (89,2%) dos pacientes. ACT-II foi utilizado em 75 (51,0%) e Nigro em 68 (46,2%) dos casos, e 4 pacientes receberam apenas capecitabina com radioterapia.

Aos 6 meses, 47 de 75 (62,7%) e 55 de 68 (80,9%) pacientes alcançaram cCR com ACT-II vs regime de Nigro (p = 0,08), respectivamente. 24 de 75 (32,0%) e 15 de 68 (22,1%) pacientes precisaram de uma colostomia com ACT-II vs regime de Nigro (p=0,19).

Após um acompanhamento médio de 40 meses, a sobrevida global em 3 anos, sobrevida livre de doença e sobrevida livre de colostomia foram 87,2%, 77,0% e 74,6%, respectivamente. Estágio (I / II vs. III) foi associado a maior probabilidade de atingir resposta clínica completa (OR 2,11, 95% CI 1,01 e 4,42, p = 0,045), sobrevida livre de doença (HR 0,17 95% CI 0,07 e 0,43, p <0,001) e sobrevida livre de colostomia mais longas (HR 0,21, 95% 0,09 - 0,46, p <0,001) em modelos multivariáveis ​​ajustados para regime de tratamento e sexo.

Nigro foi associado a uma maior probabilidade de atingir cCR após o controle para estágio da doença e sexo (OR 2,76, 95% CI 1,24 e 6,13 p = 0,012), mas o regime de tratamento não foi associado a um DFS ou CFS mais longos.

“O regime ACT-II para pacientes com carcinoma anal de células escamosas parece oferecer sobrevida livre de doença e sobrevida livre de colostomia semelhantes. O dado de resposta clínica completa inferior 6 meses após a quimiorradiação quando comparado ao regime Nigro será confirmado com amostra maior e com informações do tempo até resposta que estamos finalizando", concluíram os autores, acrescentando que futuras investigações irão avaliar melhor se a cisplatina leva a um tempo mais longo para atingir a resposta clínica completa mais de 6 meses após o tratamento.

Referência: 409P Real-world outcomes from cisplatin versus mitomycin plus fluoropyrimidine and radiation for localized squamous cell carcinoma of the anus (SCCA) - R.P. Riechelmann et al

 

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519