16072020Qui
AtualizadoQua, 15 Jul 2020 3pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

ASCO 2020

Enzalutamida mostra ganho de sobrevida global no câncer de próstata

ubirajara ferreira bxCom publicação simultânea no New England Journal of Medicineo ensaio PROSPER apresentou dados maduros de sobrevida global no ASCO 2020, demonstrando benefício de enzalutamida em pacientes com câncer de próstata não metastático resistente a castração (nmCPRC). Os resultados apresentados mostram que o tratamento com enzalutamida reduziu em 27% o risco de morte na comparação com placebo. Quem comenta é o urologista Ubirajara Ferreira (foto), coautor do estudo e Professor Titular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) (Abstract #: 5515).

“O estudo realizado com a enzalutamida no cenário de pacientes que falharam ao bloqueio hormonal ou castração cirúrgica indicados após falha de tratamento do tumor primário prostático, porém sem metástases detectáveis (nmCPRC), trouxe uma mudança de conduta quando se trata de paciente com recidiva bioquímica de rápida evolução (PSADT < 10 meses)”, afirma Ferreira.

Quando relatados pela primeira vez, os dados de sobrevida global do ensaio PROSPER ainda estavam imaturos, com apenas 165 das 596 (28%) mortes pré-especificadas. Esses resultados preliminares já indicavam benefícios consistentes do uso de enzalutamida nessa população de pacientes, com melhora clínica e significativa na sobrevida livre de metástases ([HR] 0,29; IC 95% 0,24-0,35; P <0,001), mesmo em homens com nmCRPC com antígeno específico da próstata (PSA) em rápida elevação.

Neste estudo, foram elegíveis homens com nmCRPC, tempo de duplicação do PSA ≤ 10 meses e PSA ≥ 2 ng / mL na triagem da terapia de privação androgênica (ADT), randomizados 2: 1 para receber enzalutamida (ENZA)160 mg ou placebo (PBO). O impacto do tratamento na sobrevida global foi avaliado pelo método de Kaplan-Meier usando modelo de regressão estratificado de Cox, com intervalo de confiança de 95%.

Resultados

Em 15 de outubro de 2019, após acompanhamento médio de ± 48 meses, havia 466 mortes (288 [30,9%] no braço enzalutamida e 178 [38,0%] no braço placebo. O uso de enzalutamida prolongou significativamente a sobrevida global em comparação com placebo (HR 0,73; IC95% 0,61-0,89; P = 0,0011). A sobrevida global mediana foi de 67,0 meses (IC 95% 64,0 - não atingido) no braço tratado com enzalutamida e 56,3 meses (IC 95% 54,4-63,0) no braço placebo. As terapias antineoplásicas subsequentes foram iniciadas após a descontinuação do tratamento por 310 (33%) homens no braço de intervenção versus 303 (65%) no braço placebo. A duração média do tratamento foi de 33,9 meses vs 14,2 meses com enzalutamida versus placebo, respectivamente.

Eventos adversos de grau ≥ 3 (EAs) foram relatados por 48% dos homens no braço ENZA vs 27% no braço PBO (16% vs 6% estavam relacionados a drogas, respectivamente). EAs com taxas de eventos por 100 pacientes-ano que eram ≥ 2 pontos mais altos com ENZA vs PBO foram quedas (9 vs 4), fadiga (14 vs 12) e hipertensão (7 vs 5).

“O tratamento com enzalutamida reduziu em 27% o risco de morte na comparação com placebo, demonstrando que o início do ENZA + ADT antes do início das metástases detectáveis ​​melhora a sobrevida global em homens com nmCPRC e diminui rapidamente o PSA”, destaca a análise. Esse benefício de sobrevida ocorreu também em homens do braço placebo que passaram a receber enzalutamida após terapias antineoplásicas subsequentes.

Em relação ao perfil de segurança, os dados foram consistentes com informações já reportadas em ensaios clínicos anteriores.

“ Essa análise final de sobrevida global do ensaio PROSPER fornece validação prospectiva de sobrevida livre de metástases como endpoint com potencial de substituir sobrevida global  no nmCPRC e apoia o uso continuado de ENZA + ADT como padrão de tratamento em homens com câncer de próstata não metastático resistente a castração com PSA em rápido crescimento”, destacam os autores.

Ferreira observa que os pacientes do estudo foram estadiados com cintilografia óssea e não com PetCT com PSMA, exame este que apresenta maior acurácia para detecção de metástases pelo câncer prostático. “Sabe-se que uma porcentagem considerável dos pacientes poderia ser pelo menos oligometastáticos ao iniciar o tratamento. Ainda assim, os resultados foram entusiasmantes, mesmo nesse cenário. Além disso, a enzalutamida já havia mostrado bons resultados quando utilizada nos pacientes portadores de metástases detectadas, obtidos pelo estudo PREVAIL”, diz.

“A enzalutamida é uma droga de manuseio descomplicado, tendo efeitos colaterais conhecidos e de fácil controle. O urologista pode perfeitamente fazer uso desta droga e manter sob controle os pacientes na fase de escape bioquímico pós prostatectomia radical. Boa parte dos convênios libera seu uso, bastando apenas um simples relatório médico”, conclui.


grafico prosper asco2020

Informações sobre este ensaio clínico (ClinicalTrials.gov): NCT02003924.

Referências: Final overall survival (OS) from PROSPER: A phase III, randomized, double-blind, placebo (PBO)-controlled study of enzalutamide (ENZA) in men with nonmetastatic castration-resistant prostate cancer (nmCRPC). - J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 5515) - DOI: 10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.5515

Enzalutamide and Survival in Nonmetastatic, Castration-Resistant Prostate CancerCora N. Sternberg - May 29, 2020 - DOI: 10.1056/NEJMoa2003892

First Author: Cora N. Sternberg, FACP, MD
Meeting: 2020 ASCO Virtual Scientific Program
Session Type: Poster Discussion Session
Session Title: Genitourinary Cancer—Prostate, Testicular, and Penile
Track: Genitourinary Cancer—Prostate, Testicular, and Penile
Subtrack: Prostate Cancer - Advanced Disease
Abstract #: 5515

Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519