20042021Ter
AtualizadoSeg, 19 Abr 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO GU 2019

Denosumabe e hipocalcemia no câncer de próstata

ossos asco gu19Uma análise interina do estudo REDUSE apresentada na ASCO GU mostrou que quase 30% dos homens tratados com denosumabe apresentaram hipocalcemia na fase de indução a cada 4 semanas (q4w), apesar da suplementação obrigatória de cálcio e Vitamina D. Essa taxa foi consideravelmente maior do que a relatada nos estudos que embasaram o registro de denosumabe (13%). Os resultados foram apresentados por Silke Gillessen, médica do Manchester Cancer Research Centre e primeira autora do trabalho.

Dados já conhecidos atestaram a superioridade de denosumabe administrado a cada 4 semanas (q4w) em retardar eventos esqueléticos relacionados ao tratamento do câncer de próstata resistente a castração comparado ao uso de ácido zoledrônico a cada 4 semanas (q4w). Evidências recentes também mostraram que ácido zoledrônico a cada 12 semanas (q12w) não é inferior a ácido zoledrônico q4w. No ASCO GU foi apresentada uma análise intermediária do endpoint secundário do estudo REDUSE, que avaliou a hipocalcemia.

No estudo, pacientes com câncer de próstata resistente à castração (planejado N = 690) foram randomizados 1: 1 para receber denosumabe q4w (Braço A) versus q12w (Braço B) após uma fase de indução de 16 semanas com doses de q4w. Todos os pacientes receberam vitamina D 400 U e cálcio na dose de 500 mg/ dia. A medição do cálcio sérico foi obrigatória antes de cada injeção de denosumabe. Esta análise interina foi realizada após 3,5 anos e considerou pacientes que receberam ≥ 1 dose de denosumabe.

Resultados

383 pacientes foram avaliados. A hipocalcemia ocorreu em 28,7% dos pacientes durante as primeiras 16 semanas com o esquema DN q4w e em 30,2% da população avaliada em doses subsequentes. Na fase de indução, a hipocalcemia ocorreu em 40,2% dos pacientes no braço A e em 20,3% no braço B. Uma diferença clinicamente relevante para hipocalcemia (HC) foi observada entre os dois braços após a fase de indução.

Em conclusão, o estudo mostrou que quase 30% dos homens tratados com denosumabe apresentaram hipocalcemia na fase de indução de q4w, apesar da suplementação obrigatória de cálcio e Vitamina D. Essa taxa foi consideravelmente maior do que a relatada nos estudos que embasaram o registro de denosumabe (13%). Após o tratamento de indução, a incidência de hipocalcemia foi consideravelmente menor no braço q12w em comparação com q4w. Para os autores, isso sugere que denosumabe q12w tem perfil de toxicidade mais favorável.

Referências: Abstract 139: Incidence of hypocalcemia in patients with castration-resistant prostate cancer treated with denosumab: Data from a non-inferiority phase III trial assessing prevention of symptomatic skeletal events (SSE) with denosumab administered every four weeks (q4w) versus every 12 weeks (q12w)—SAKK 96/12 (REDUSE). - Silke Gillessen et al - J Clin Oncol 37, 2019 (suppl 7S; abstr 139)
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519