17092021Sex
AtualizadoSex, 17 Set 2021 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO GU 2019

LuPSMA no câncer de próstata

BALANCO PROSTATA bx ASCOGUEstudo de Fase II apontado entre os destaques do ASCO-GU 2019 apresenta dados atualizados de lutécio-177 (177Lu)-PSMA-617 (LuPSMA) em pacientes com câncer de próstata metastático resistente a castração. LuPSMA é uma molécula radiomarcada que se liga com alta afinidade ao antígeno de membrana específico da próstata (PSMA), possibilitando a entrega direcionada da radiação (Abstract 228).

Neste estudo conduzido por pesquisadores australianos, 50 pacientes com câncer de próstata metastático resistente à castração que progrediram após terapias padrão receberam até 4 ciclos de LuPSMA a cada 6 semanas. Os desfechos primários foram resposta do PSA e toxicidade. Outros endpoints incluíram resposta de imagem, sobrevida livre de progressão do PSA (SLPPSA) e sobrevida global (SG).

Resultados

Entre os 50 pacientes que foram elegíveis para o tratamento, o tempo médio de duplicação do PSA foi de 2,6 meses. A maioria dos pacientes havia recebido anteriormente docetaxel (84%), cabazitaxel (48%) e abiraterona e / ou enzalutamida (90%).

A dose média administrada de LuPSMA foi de 7,5 GBq / ciclo. O declínio do PSA ≥ 50% foi alcançado por 32 de 50 pacientes (64%, IC 95% 50-77%), incluindo 22 pacientes (44%, IC 95% 30-59%) que tiveram declínio do PSA ≥ 80%. 27 pacientes tinham tecido mole mensurável no início do estudo e 56% desses pacientes tiveram resposta parcial ou completa por RECIST 1.1.

Em relação ao perfil de segurança, as toxicidades mais comuns atribuídas ao LuPSMA foram boca seca transitória, reportada por 68% dos pacientes, náusea em 48% e fadiga em 36%. As toxicidades severas atribuídas ao LuPSMA foram trombocitopenia grau 3-4 em 10% e anemia grau 3-4 também em 10% dos pacientes. A mediana da SLPPSA foi de 6,9 meses (IC 95% 6,0-8,7) e a mediana da SG foi de 13,3 meses (IC 95% 10,5-18,0).

Após a progressão subsequente ao tratamento com LuPSMA, novas doses de LuPSMA foram administradas a 14 pacientes (mediana de 2 ciclos iniciando 359 dias após a inscrição no estudo). A resposta de PSA ≥ 50% ocorreu em 9 pacientes (64%).

Em conclusão, os autores destacam que esta coorte ampliada de 50 pacientes confirmou altas taxas de resposta e baixa toxicidade com LuPSMA em pacientes com mCPRC que progrediram após terapias padrão. Nos pacientes que apresentaram progressão subsequente ao tratamento, doses adicionais de LuPSMA também demonstraram taxas de resposta elevadas.

Referência: Results of a 50 patient single-centre phase II prospective trial of Lutetium-177 PSMA-617 theranostics in metastatic castrate-resistant prostate cancer. - M. Hofman, J. A. Violet, R. J. Hicks, J. Ferdinandus, S. Thang, A. Iravani, G. Kong, A. Ravi Kumar, T. J. Akhurst, J. Mooi, C. Guo, B. Tran, P. Jackson, M. Scalzo, P. Eu, S. Williams, S. K. Sandhu

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519