27112020Sex
AtualizadoSex, 27 Nov 2020 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ESMO 2018

ESMO 2018 discute seis meses de trastuzumabe no câncer de mama HER2

MAMA bxMulheres com câncer de mama inicial HER2-positivo com tumores pequenos têm sobrevida livre de doença semelhante com nove semanas de tratamento com trastuzumabe adjuvante comparadas com aquelas tratadas por um ano, com menor risco de toxicidade cardíaca. Os dados são de uma análise de subgrupo do estudo Short-HER apresentada na ESMO 2018, em Munique. Um segundo estudo também mostra que o tratamento de seis meses com trastuzumabe adjuvante foi custo-efetivo, com uma economia média de aproximadamente 11.300 euros por paciente comparado ao tratamento com o padrão de 12 meses.

 

As diretrizes atuais recomendam um ano de terapia com anticorpos anti-HER2 como parte do tratamento adjuvante para pacientes com câncer de mama HER2 positivo. Este estudo avaliou se um ciclo menor de trastuzumabe poderia alcançar eficácia semelhante, com menor risco de efeitos colaterais e redução de custos.

O estudo clínico Short-HER randomizou 1254 pacientes com câncer de mama inicial HER2 positivo para receber nove semanas ou um ano de tratamento com trastuzumabe e quimioterapia. Resultados após uma mediana de seis anos de acompanhamento mostram que o curso de curta duração não atingiu a não-inferioridade, mas foi associado a uma redução na taxa de toxicidade cardíaca grave.

Os pesquisadores também analisaram se há subgrupos de pacientes nos quais um curso mais curto de trastuzumabe pode ser não-inferior a um curso mais longo. A análise multivariada mostrou que o tamanho do tumor patológico (pT) e o status nodal (N) foram fatores prognósticos independentes para sobrevida livre de doença (SLD), permitindo discriminar três grupos prognósticos:

  • baixo risco (tamanho do tumor patológico [pT] <2cm e N0), representando 37,5% dos pacientes

  • risco intermediário (pT <2cm e qualquer categoria N), representando 51,9% dos pacientes

  • alto risco (pT> 2cm e N4 +), representando 10,5% da população de pacientes.

Os resultados mostraram que os pacientes com baixo risco e risco intermediário tinham SLD em cinco anos semelhante aos tratados com nove semanas de trastuzumabe (88%) e aqueles com um ano de tratamento (89%; taxa de risco 1,02, intervalo de confiança de 95% [IC] 0,78-1,33), mas o risco de eventos cardíacos foi quase três vezes menor (4,5% vs 12,8%, risco relativo 2,88 95% CI 1,85-4,47). Mulheres com baixo risco e risco intermediário representaram 89% dos pacientes no estudo.

“O estudo foi underpowered por causa das dificuldades em recrutar pacientes e a não-inferioridade não pode ser reivindicada com base nesses resultados ", disse o principal autor Pierfranco Conte, professor de Oncologia da Universidade de Pádua e Diretor da Divisão de Oncologia Médica do Instituto Oncológico Vêneto, em Pádua, Itália. "Com base em nossos dados, um ano de trastuzumabe continua a ser o tratamento padrão para mulheres com câncer de mama inicial HER2-positivo. No entanto, em pacientes com risco de toxicidade cardíaca e em pacientes de baixo risco e risco intermediário, os médicos podem parar o trastuzumabe antes de um ano sem comprometer a eficácia e, portanto, considerar o tratamento com duração mais curta”, avalia.

Os resultados do estudo também podem facilitar o acesso. Para Nadia Harbeck, chefe do Centro de Mama da Universidade de Munique, que analisou os resultados a pedido da ESMO, os resultados dessa análise mostram que pacientes com alta carga tumoral obtêm benefícios substanciais do tratamento com trastuzumabe de longa duração, mas cursos mais breves são opção. “Os resultados podem ter impacto na tomada de decisão clínica. Embora seja uma análise exploratória de um estudo negativo, eu acho que isso vai influenciar médicos e pacientes. Aqueles com baixa carga tumoral e que não puderem completar um ano de trastuzumabe podem ter a segurança de não perder a eficácia”, acrescenta.

Economia

Um segundo estudo mostrou que o tratamento de seis meses com trastuzumabe adjuvante foi custo-efetivo comparado a 12 meses, proporcionando uma redução de custo média de cerca de £ 10.000 (11.300 Euros) por paciente, sem detrimento da qualidade de vida.

Pesquisadores analisaram a relação de custo-efetividade de um tratamento com trastuzumabe adjuvante de seis meses e do curso padrão de 12 meses entre pacientes com câncer de mama inicial HER2 positivo participando do estudo PERSEPHONE.

O novo estudo analisou a atividade e os custos dos serviços de saúde, além da qualidade de vida em 4009 pacientes livre de doença aos seis meses; 250 foram excluídos por falta de dados. “Seis meses com trastuzumabe adjuvante com quimioterapia foi custo-efetivo em comparação com 12 meses", disse o principal autor, Claire Hulme, Professor de Economia da Saúde da Universidade de Leeds, no Reino Unido. “Esses resultados, juntamente com os resultados da eficácia clínica, são os primeiros passos na redução segura do tratamento para muitas mulheres com câncer de mama HER-2 positivo”, acrescentou.

Referências:

1 - Abstract 191PD_PR ‘9 weeks versus 1 year adjuvant trastuzumab for HER2+ early breast cancer: subgroup analysis of the ShortHER trial allows to identify patients for whom a shorter trastuzumab administration may have a favourable risk/benefit ratio’ will be presented by Pierfranco Conte during the Poster Discussion Session on Saturday 20 October, 15:00 to 16:15 (CEST) in Room 15 - Hall A1. Annals of Oncology, Volume 29 Supplement 8 October 2018 

2 - Abstract LBA12_PR ‘PERSEPHONE: 6 versus 12 months (M) of adjuvant trastuzumab in patients (PTS) with HER2 positive early breast cancer (EBC): cost effectiveness analysis results’ will be presented by Claire Hulme during the Proffered Paper Session on Friday 19 October, 16:00 to 17:30 (CEST) in Room 13 – ICM. Annals of Oncology, Volume 29 Supplement 8 October 2018

3 - Senkus E, Kyriades S, Ohno S et al. Primary breast cancer: ESMO Clinical Practice Guidelines for diagnosis, treatment and followup. Annals of Oncology 2015; 26: v8-v30.

4- Conte PF, Bisagni G, Frassoldati A et al. 9 weeks vs 1 year adjuvant trastuzumab in combination with chemotherapy: Results of the phase III multicentric Italian study Short-HER. J Clin Oncol 2017; 35 suppl; abstract 501. 

5- Early HM, Hiller L, Vallier A-L et al. PERSEPHONE: 6 versus 12 months (m) of adjuvant trastuzumab in patients with HER2 positive early breast cancer: randomised phase 3 non-inferiority trial with definitive 4-year disease-free survival results. Journal of Clinical Oncology 36, no. 15_suppl (May 20 2018) 506-506.

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519