30112020Seg
AtualizadoSeg, 30 Nov 2020 1am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Imunoterapia anti-PD-L1 em câncer de bexiga avançado

BEXIGA_CAPA_NET_OK.jpgA imunoterapia anti-PD-L1 atezolizumab (TECENTRIQ) é eficaz em pacientes com câncer de bexiga avançado sem tratamento prévio e não elegíveis para o tratamento padrão com cisplatina. Os dados do estudo de fase II IMvigor210, apresentados no domingo, dia 5 de junho, na ASCO, mostraram que o atezolizumab diminuiu os tumores em cerca de um quarto dos pacientes e proporcionou uma mediana de sobrevida global de 14,8 meses, em um cenário onde geralmente os pacientes têm uma sobrevida de nove a 10 meses com regimes à base de carboplatina.

O câncer de bexiga é mais comum em pessoas idosas; a média de idade no momento do diagnóstico é de 70 anos. Esse tipo de câncer também está intimamente ligado ao tabagismo e ex-fumantes compõem 80% dos pacientes.
 
O tratamento inicial padrão para o câncer de bexiga avançado é a quimioterapia baseada em cisplatina, que oferece sobrevida média de 12-15 meses. No entanto, para 30-50% dos pacientes com câncer de bexiga avançado, a quimioterapia com cisplatina não é considerada uma opção segura, seja pela idade avançada, função renal, e/ou condições clínicas. Para esses pacientes, a quimioterapia baseada em carboplatina proporciona uma média de sobrevida de 9-10 meses.
 
"Metade dos pacientes com câncer de bexiga avançado é muito frágil para receber cisplatina, a única opção de tratamento conhecida para prolongar a sobrevida. Realmente, não há realmente nenhum tratamento padrão para esses pacientes", disse o autor do estudo Arjun Vasant Balar, professor assistente de medicina no Centro Médico da New York University Langone e Diretor de Oncologia Geniturinária do Centro de Câncer Perlmutter NYU, em Nova York. "Estamos empolgados em ver que a imunoterapiaatezolizumab pode ajudar a resolver esta grande necessidade não atendida", acrescentou.
 
Sobre o Estudo
 
O IMvigor210 é um estudo braço único, de fase II, de atezolizumab em pacientes com câncer de bexiga localmente avançado ou metastático.O estudo incluiu dois grupos de pacientes: um recebeu atezolizumab como segunda linha e o outro recebeu atezolizumab como tratamento inicial. Os resultados do grupo de terapia em segunda linha já haviam sido relatados e serviram de base para a aprovação acelerada concedida pelo FDA.
 
Pacientes sem quimioterapia prévia no cenário da doença metastática e inelegíveis à cisplatina (função renal [GFR> 30 e <60 mL / min] / deficiência auditiva, ≥ G2 neuropatia periférica [PN] ou ≥ ECOG PS2) receberam atezolizumab 1200 mg administrado via intravenosa Q3W até progressão da doença (RECIST v1.1).
 
O endpoint primário de eficácia foi taxa de resposta objetiva (RECIST v1.1)
 
Em um acompanhamento médio de 14,4 meses, 28 dos 119 pacientes (24%) responderam ao tratamento. Até o momento, a maior duração de resposta é superior a 18 meses, e 21 de 28 (75%) respostas estavam em curso no momento da análise dos dados. A mediana de sobrevida global foi de 14,8 meses.
 
A taxa de resposta objetiva foi de 19% (95% IC 13-28; 5% CR), e as respostas ocorreram em todos os subgrupos (Tabela), incluindo pacientes com fatores de mau prognóstico.
 
Em geral, atezolizumab foi bem tolerado e de 10% a 15% dos pacientes tiveram eventos adversos graves. As toxicidades mais comuns foram hipotireoidismo, alterações da função hepática, erupção cutânea e diarreia. "A maioria dos nossos pacientes teve pouco ou nenhum efeito colateral e apenas 6% dos pacientes interromperam o tratamento devido à toxicidade. Isto contrasta com a taxa de aproximadamente 20% de descontinuação do tratamento por causa da toxicidade observada com regimes de quimioterapia à base de carboplatina. A imunoterapia parece ser muito mais fácil de tolerar do que a quimioterapia e isso é especialmente importante para pacientes idosos", disse Balar.
 
Os pesquisadores estão planejando um estudo randomizado de fase III de atezolizumab como tratamento inicial para câncer de bexiga avançado. Um ensaio clínico randomizado de atezolizumab como tratamento adjuvante para câncer de bexiga em estágio inicial também está em andamento.
 
Vários ensaios clínicos em curso exploram outros inibidores de checkpoint imunológico, incluindo nivolumab, durvalumab e pembrolizumab no câncer de bexiga localizado e avançado.
 
Este estudo recebeu financiamento do Genentech, membro do Grupo Roche.
 
Informações do ensaio clínico: NCT02108652

 
  n ORRa
DCRb
mPFSa
mOS
% 95% CI % 95% CI mo 95% CI mo 95% CI
IC2/3 32 22 9, 40 44 26, 62 2.9 2.1, 4.2 10.6 6.0, NEc
IC1/2/3 80 19 11, 29 40 29, 52 2.3 2.1, 4.2 10.6 8.1, NE
All 119 19 13, 28 38 29, 47 2.4 2.1, 4.1 10.6 8.1, NE
aRECIST v1.1; bInvestigator-assessed CR + PR + SD (SD ≥ 24 wk); c Not estimable
 
Referência: Atezolizumab (atezo) as first-line (1L) therapy in cisplatin-ineligible locally advanced/metastatic urothelial carcinoma (mUC): Primary analysis of IMvigor210 cohort 1 - Abstract No:LBA4500 - Citation:J ClinOncol 34, 2016 (suppl; abstr LBA4500)

 
Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519