20012021Qua
AtualizadoSeg, 18 Jan 2021 11pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ESMO - ECC 2015

Mais de 75% dos pacientes de câncer não têm acesso à cirurgia

Cirurgia_NET_OK.jpgMais de 80% das 15 milhões de pessoas diagnosticadas com câncer em todo o mundo em 2015 vão precisar de cirurgia, mas menos de um quarto dos pacientes terá acesso a ela, revela estudo publicado no Lancet Oncology (vol 16, nº 11), apresentado na segunda feira, 28, no Congresso Europeu de Câncer, em Viena. A Comissão responsável pelo mapeamento apresentado na ESMO este ano demonstra que o acesso é pior em países de baixa renda, onde 95% dos pacientes com câncer não recebem cirurgia básica. No entanto, apesar deste déficit mundial no acesso à cirurgia, o tratamento cirúrgico não é visto pela comunidade internacional como um componente essencial no controle global do câncer.

Richard Sullivan, do Instituto de Política de Câncer do Kings College London, no Reino Unido, observou que "diante de muitas prioridades de saúde concorrentes e dos constrangimentos financeiros substanciais em muitos países de baixa e média renda, serviços cirúrgicos para câncer recebem baixa prioridade dentro dos planos oncológicos e poucos investimentos. “Nossas estimativas atuais sugerem que menos de um em cada vinte (5%) pacientes em países de baixa renda e apenas cerca de um em cada cinco (22%) pacientes em países de renda média pode ter acesso à cirurgia básica para o câncer ", afirmou. [1]
 
O acesso restrito à cirurgia básica para o câncer e ao tratamento oncológico de boa qualidade não se limita aos países mais pobres do mundo.  Dados da União Europeia mostram que muitos dos estados membros não estão assegurando cirurgia de câncer de alta qualidade para as suas populações.
 
Sem investimento urgente em serviços cirúrgicos para o tratamento do câncer, as perdas econômicas globais vão alcançar US $ 12 trilhões até 2030[2], o equivalente a 1%-1,5% da produção econômica dos países ricos e de 0,5% a 1% do PIB de países de baixa e média renda, anualmente. Além disso, medidas eficazes para formar mais cirurgiões oncológicos e melhorar os sistemas cirúrgicos destinados ao tratamento do câncer poderiam significar uma economia global de mais de US $ 60 bilhões até 2030”, disse o co-autor, John Meara, do Programa de Cirurgia global da Harvard Medical School.
 
A cirurgia é a base de políticas de controle e cura do câncer, pois mais de 80% de todos os cânceres requerem algum tipo de cirurgia, em muitos casos com mais de uma intervenção. Quase 300 diferentes procedimentos cirúrgicos são utilizados para o diagnóstico, tratamento curativo ou tratamento paliativo do câncer. 

Demanda X Incidência 

A demanda por cirurgia de câncer deve crescer, refletindo o aumento das taxas de incidência das neoplasias, em muitos países. Em 2030, dos quase 22 milhões de novos pacientes com câncer, mais de 17 milhões terão cirurgia, 10 milhões deles em países periféricos.  A situação é particularmente crítica em países da África subsaariana e na Ásia, onde se prevê aumento de 60% na demanda por cirurgia oncológica até 2030. [1]
 
A Comissão também fez um apelo à comunidade médica. Com um déficit muito acentuado de cirurgiões de câncer em mais de 82% dos países, é necessária uma ação radical para treinar cirurgiões gerais nos princípios da cirurgia oncológica, assim como é fundamental criar programas de treinamento cirúrgico, dizem os autores. Outras soluções para melhorar o acesso à cirurgia incluem melhorias na regulamentação de sistemas públicos, parcerias internacionais entre instituições e sociedades de especialidades cirúrgicas, além de um firme compromisso com a cobertura de saúde universal. [3],[4]
 
“Formuladores de políticas em todos os níveis ainda têm pouca consciência da importância central da cirurgia para o controle do câncer. Mesmo estudos recentes destinados a ampliar os cuidados em câncer na África mal reconhecem a importância da cirurgia, focando principalmente em quimioterapia", critica o co-autor, Riccardo Audisio, Presidente da Sociedade Europeia de Oncologia Cirúrgica.
 
Segundo a Comissão, o financiamento para a investigação em cirurgia de câncer precisa de investimentos urgentes. Apesar de seu enorme impacto sobre os resultados dos pacientes - com mais de 50% de sobrevida no câncer de mama, por exemplo - apenas 1,3% do orçamento anual global de pesquisa e desenvolvimento do câncer vai para a cirurgia. Este valor é semelhante no Reino Unido, onde apenas 2,1% do gasto em pesquisa de câncer são dedicados à cirurgia. Novas estimativas produzidas pela Comissão apontam que 93% da investigação global em cirurgia de câncer são realizadas por apenas 34 de 195 países.
 
Para Sullivan, "esta Comissão define claramente a enorme dimensão do problema imposto pela escassez global de acesso à cirurgia de câncer. É imperativo que a cirurgia esteja no coração das estratégias globais e nacionais de enfrentamento do câncer, assim como é necessário um poderoso compromisso político para aumentar o investimento e treinamento em sistemas de financiamento público de cirurgia de câncer", disse o especialista. [1]
 
Referências: Abstract no LBA9: Presidential session III, Monday 14.35 hrs (CEST), Hall D1

[1] Cumulative gross domestic product (GDP) losses as a result of labour supply and capital stock.
[2] Society of Surgical Oncology; http://www.surgonc.org/
[3] European Society of Surgical Oncology; http://www.ecco-org.eu/About-Ecco/Members/ESSO
 
http://www.thelancet.com/journals/lanonc/article/PIIS1470-2045(15)00223-5/abstract
 

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519