28112020Sáb
AtualizadoSex, 27 Nov 2020 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO GI 2015

IMAGE 1: IMM-101 com gemcitabina demonstra vantagem de sobrevida no câncer de pâncreas

pancreas.jpgOs resultados do ensaio clínico de Fase II, randomizado, controlado, 'IMAGE 1', que avaliou o IMM-101 (um imunomodulador sistêmico derivado de bactérias administrado por via intradérmica) em associação com gemcitabina no tratamento do câncer de pâncreas avançado indicou melhorias consistentes e significativas na sobrevida global (SG) e sobrevida livre de progressão (SLP).

Os pacientes com câncer de pâncreas avançado e score WHO de 0-2 foram aleatoriamente designados para receber IMM-101 (0,1 mL injeção intradérmica de 10 mg/mL) mais gemcitabina (1000 mg/m2 por 3 semanas consecutivas a cada 4 semanas) ou apenas gemcitabina. Por protocolo, isso poderia ter continuado a um máximo de 12 ciclos. O endpoint primário de eficácia foi a sobrevida global (SG). Segurança, tolerabilidade e sobrevida livre de progressão (SLP) também foram avaliadas. 

Resultados
 

Um total de 110 pacientes foi randomizado, 75 para receber IMM-101 mais gemcitabina e 35 apenas gemcitabina (população ITT). A mediana se SG aumentou significativamente de 29% para 7,2 meses no grupo IMM-101 mais Gem em comparação com 5,6 meses no grupo Gem (p=0,022; HR 0,60; 95% CI 0,38-0,94).

A mediana de SLP foi significativamente aumentada em 83%, para 4,4 meses no grupo IMM-101 mais Gem em comparação com 2,4 meses no grupo Gem (p=0,003; HR 0,51; 95% CI 0,32-0,81). No subgrupo pré-definido com doença metastática (82 dos 110 pacientes randomizados), uma melhoria de 3,1 meses ou 700/0 na sobrevida global em comparação com pacientes que receberam gemcitabina isolada (mediana de 7,5 vs 4,4 meses) foi demonstrada (HR 0,46, 95 % CI 0,28-0,76, p=0,002). Foi observado um aumento muito significativo de 91% na mediana de SLP de 2,3 meses no grupo gemcitabina para 4,4 meses no grupo IMM-101 mais gemcitabina (p<0,001; HR 0,40; 95% CI 0,24-0,66). 

Efeitos adversos
 

O IMM-101 foi bem tolerado. O aumento clinicamente significativo da SG e SLP foi demonstrado com IMM-101 e não foi observada nenhuma carga adicional de eventos adversos além das relativas à quimioterapia ou doença subjacente. Os únicos eventos adversos do NCI CTC≥ grau 3 ocorreram com maior frequência no grupo IMM-101 foram astenia (10,8%) e dor abdominal (8,1%) - ambos 2,9% no grupo gemcitabina.
 
"Há uma necessidade real de tratamentos para câncer de pâncreas que melhorem significativamente a sobrevida sem toxicidade adicional e estes dados sugerem que a imunomodulação oferece esta esperança", disse Angus Dalgleish, investigador principal do IMAGE 1.

Segundo Kevin Bilyard, CEO da biofarmacêutica Immodulon Therapeutics, que está desenvolvendo o IMM-101, o benefício significativo de sobrevida em um ensaio clínico randomizado e controlado deste tamanho é muito encorajador e fornece orientação clara para o desenvolvimento do IMM-101 em combinação com a quimioterapia como primeira opção de tratamento linha para câncer de pâncreas metastático. “Estamos agora iniciando discussões com autoridades regulatórias para determinar um caminho de desenvolvimento que nos permitirá confirmar estes resultados preliminares o mais rápido possível. Embora o câncer de pâncreas metastático seja a principal indicação para IMM-101, esperamos que ele também seja eficaz em outros tipos de tumores também", acrescentou.
 
Informações do ensaio clínico: NCT01303172
 
Referência:J Clin Oncol 33, 2015 (suppl 3; abstr 336)
Abstract 336:
A multicenter randomized, open-label, proof-of-concept, phase II trial comparing gemcitabine with and without IMM‑101 in advanced pancreatic cancer.
http://abstracts.asco.org/158/AbstView_158_139999.html
 

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519