12062021Sáb
AtualizadoQui, 10 Jun 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ESMO 2014

CLEOPATRA confirma superioridade do pertuzumabe em câncer de mama metastático HER2+

NotasAntigas_Sergio_Nota6_Mama.jpgEm pacientes com câncer de mama HER2 positivo metastático, o regime com pertuzumabe (Perjeta®), trastuzumabe e quimioterapia com docetaxel demonstrou ganhos de 16 meses na mediana de sobrevida na comparação com trastuzumabe docetaxel e placebo. Os dados são da análise final do estudo CLEOPATRA, apresentada na ESMO por Sandra Swain, do Medstar Washington Hospital Center.

O estudo comparou a combinação dos dois anticorpos monoclonais em associação com quimioterapia com docetaxel versus o tratamento com trastuzumabe e quimioterapia. O desfecho primário foi o ganho de sobrevida global (SG). Depois de um follow up com tempo médio de 50 meses, o regime com Perjeta® demonstrou ganhos de 15,7 meses na mediana de SG (56,5 meses versus 40,8 meses) e os resultados foram estatisticamente significativos (HR = 0,68, 95% CI 0,56-,84, p = 0,0002).

“É um benefício sem precedentes”, disse Swan. O ganho de sobrevida global observado com o regime pertuzumabe no estudo CLEOPATRA foi consistente em todos os subgrupos de pacientes, confirmando os benefícios apontados em análises anteriores. “São dados extremamente importantes para os pacientes e suas famílias", acrescentou ela.

A Sociedade Europeia de Oncologia (ESMO) destacou os resultados finais do CLEOPATRA, o que projeta o Perjeta® como tratamento de primeira linha em câncer de mama HER2 positivo avançado. “Temos um novo padrão para a primeira linha de câncer de mama metastático HER2 positivo”, disse Giuseppe Curigliano, do Instituto Europeu de Oncologia, em Milão, Itália. “Agora temos um tratamento que melhora a sobrevida global e a sobrevida livre de progressão, sem afetar a qualidade de vida dos pacientes, em termos de segurança cardíaca", concluiu.

Para o oncologista brasileiro Gilberto Lopes, do HCor-Onco, o CLEOPATRA é sem dúvida um dos destaques da ESMO este ano, “em especial por mostrar uma melhora de sobrevida global de mais de um ano, muito significativa dos pontos de vista clínico e estatístico. O pertuzumabe já era a primeira escolha em combinação com trastuzumabe e taxano para pacientes com doença HER2 positiva avançada e agora se consolida ainda mais em primeira linha”, diz o especialista.

Referências: Abstract: 350O_PR
Final overall survival (OS) analysis from the CLEOPATRA study of first-line (1L) pertuzumab (Ptz), trastuzumab (T), and docetaxel (D) in patients (pts) with HER2-positive metastatic breast cancer (MBC)


S. Swain1, S. Kim2, J. Cortes3, J. Ro4, V. Semiglazov5, M. Campone6, E. Ciruelos7, J. Ferrero8, A. Schneeweiss9, S. Heeson10, E. Clark10, G. Ross10, M.C. Benyunes11, J. Baselga12

1Medstar Washington Hospital Center, Washington Cancer Institute, Washington, DC, USA,2Department of Oncology, Asan Medical Center, Seoul, KOREA, 3Breast Cancer Program, Vall d'Hebron University Hospital, Barcelona, SPAIN, 4Center for Breast Cancer, National Cancer Center, Goyang, KOREA, 5Breast Cancer Department, N.N. Petrov Research Institute of Oncology, St. Petersburg, RUSSIAN FEDERATION, 6Medical Oncology, Centre René Gauducheau, St Herblain, FRANCE, 7Medical Oncology Department, 12 de Octubre University Hospital, Madrid, SPAIN, 8Department of Medical Oncology, Centre Antoine Lacassagne, Nice, FRANCE, 9University Hospital, National Center for Tumor Diseases, Heidelberg, GERMANY, 10Oncology, Roche Products Limited, Welwyn, UK, 11Oncology, Genentech, South San Francisco, CA, USA, 12Hematology Oncology, Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, New York, NY, USA

APHINITY e NeoSphere investigam pertuzumabe em câncer de mama HER2+ em adjuvância e neoadjuvância

Além do CLEOPATRA, que atestou a superioridade da combinação de pertuzumabe e docetaxel no câncer de mama metastático HER2 positivo, outros dois estudos apostam na combinação de pertuzumabe (Perjeta®), traztuzumabe e docetaxel no câncer de mama HER2 positivo, desta vez no cenário de adjuvância (APHINITY) e neoadjuvância (NeoSphere).

O estudo NeoSphere descobriu que a dupla estratégia de associar pertuzumabe e trastuzumabe mais quimioterapia com docetaxel melhorou significativamente o número de pacientes com câncer de mama HER2 positivo que tiveram resposta patológica completa.

O potencial dessa combinação no cenário adjuvante está sendo investigado no estudo APHINITY, ainda em andamento, financiado pela Roche. "Se os dados da doença metastática forem confirmados em adjuvância, teremos também um novo padrão de tratamento nesse cenário", disse Giuseppe Curigliano, do Instituto Europeu de Oncologia, em Milão, Itália.

Outros trabalhos em andamento investigam a combinação do bloqueio duplo com anticorpos monoclonais associado à quimioterapia. É o caso do estudo PERUSE, que associa pertuzumabe, trastuzumabe e taxanos como estratégia de primeira linha em pacientes com câncer de mama avançado HER2 positivo e do trial VELVET, que testa a combinação de pertuzumabe, trastuzumabe e vinorelbina em primeira linha no câncer de mama metastático HER2 positivo.

"A estratégia de usar dois anticorpos monoclonais pode ser explorada não apenas no câncer de mama, mas em outros tumores sólidos", sinalizou Curigliano.

Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519