20042021Ter
AtualizadoSeg, 19 Abr 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCO 2014

TEXT e SOFT - Inibidores de aromatase no câncer de mama

Mama_NET_OK.jpgO inibidor de aromatase exemestano é mais efetivo que o tamoxifeno na prevenção de recorrência do câncer de mama em mulheres jovens submetidas ao tratamento adjuvante de supressão da atividade ovariana.

Essa é a principal conclusão dos estudos conduzidos pelo International Breast Cancer Study Group (IBSCG), que apresentou na ASCO, em sessão plenária, os resultados dos ensaios TEXT (Tamoxifen and Exemestano Trial) e SOFT (Suppression of Ovarian Function Trial).


O tratamento com exemestano associado à supressão da atividade ovariana reduziu em 28% o risco de tumores invasivos e em 34% o risco de recorrência do câncer de mama na comparação com o regime de tamoxifeno e supressão ovariana. No seguimento de cinco anos, 92,8% das mulheres permaneciam livres de recorrência no braço tratado com exemestano, versus 88,8% no braço tratado com tamoxifeno.


Os estudos TEXT e SOFT são ensaios randomizados de fase III, conduzidos respectivamente com 2.672 e 3.066 mulheres na pré-menopausa com câncer de mama com receptor hormonal positivo. A investigação foi realizada no período de novembro de 2003 a abril de 2011, com a participação de mais de 500 instituições, em 27 países

Os resultados foram apresentados na ASCO por Olivia Pagani, diretora do Instituto de Oncologia do Sul da Suiça. Ainda que o estudo traga dados encorajadores em favor da terapia com exemestano, é preciso considerar que a heterogeneidade das pacientes e o longo período de seguimento sugerem um olhar cauteloso, assim como o papel da obesidade nos resultados apresentados. A expectativa é de que a conferência de San Antonio possa ampliar a compreensão sobre esses achados.

Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519