14052021Sex
AtualizadoSex, 14 Maio 2021 2am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Drops de genômica

Tecnologias de sequenciamento genético do DNA

drops tecnologia sequenciamento 21 bxEm mais um tópico da coluna Drops de Genômica, o oncologista André Murad (foto) aborda o passado, presente e futuro das tecnologias de sequenciamento genético do DNA. Confira.

O sequenciamento de DNA passou por avanços radicais desde que o primeiro método de sequenciamento Sanger foi introduzido em 1977. O sequenciamento Sanger faz uso de desoxinucleotídeos de terminação de cadeia adicionados aleatoriamente durante a síntese de DNA para gerar cadeias de DNA de comprimentos diferentes por um par de bases. São então separados em um gel de poliacrilamida e "lidos" da esquerda para a direita como um livro. Atualmente, existe uma grande variedade de métodos aprimorados com resultados rápidos e precisos.

Do método Sanger ao sequenciamento de molécula única

No final dos anos 1990 e 2000, o Projeto Genoma Humano promoveu melhorias no método Sanger mencionado anteriormente, que inclui o sequenciamento "shotgun" do genoma inteiro e métodos de sequenciamento de próxima geração (NGS). Ao quebrar grandes sequências de DNA e sequenciá-las simultaneamente de maneira massivamente paralela, os dados podem então ser gerados mais rapidamente, através de técnicas especiais de bioinformática. Com o aprimoramento desta tecnologia computacional, a sequência pode ser remontada e genomas inteiros passam a ser decodificados.

Empresas como Solexa e Life Technologies aprimoraram esses métodos mais uma vez, criando tecnologias de sequenciamento de última geração. No sequenciamento de próxima geração, os fragmentos de modelo de DNA são anexados a superfícies sólidas como lâminas de vidro ou microesferas para um manuseio mais automatizado e de alto rendimento. Algumas inovações químicas foram adicionadas no sequenciamento de segunda geração. Esses métodos foram desenvolvidos e ganharam popularidade na década de 2000.

Análise Genética Helicos

A Helicos Genetic Analysis Platform sequencia moléculas de DNA individuais ligadas a uma superfície plana à medida que são estendidas, análogos de nucleotídeos marcados com fluorescência, chamados de nucleotídeos terminadores de cadeia. Essa tecnologia ainda requer uma pausa após cada rodada de extensão para se ler a sequência, mas elimina a etapa de PCR (reação em cadeia da polimerase) necessária para tecnologias de próxima geração, como Illumina, Ion AmpliSeq da Thermo Fisher e Roche 454.

Sequenciamento em tempo real de molécula única

Mais recentemente, a Pacific Biosciences desenvolveu o método de sequenciamento em tempo real de molécula única (SMRT), que se baseia na observação direta da síntese de uma única fita de DNA. O sequenciamento SMRT utiliza uma câmara em escala nanométrica para isolar uma única fita de DNA e a DNA polimerase. A molécula de DNA polimerase é ancorada e então inundada com nucleotídeos marcados com fluorescência. Os nucleotídeos podem ser detectados à medida que se difundem para a fita de DNA ligada e são reconhecidos e incorporados pela DNA polimerase. O processo de difusão e extensão ocorre em milissegundos, o que significa que a DNA polimerase é adicionada várias bases por segundo. Como o corante fluorescente está ligado ao nucleotídeo por meio de uma cadeia de fosfato, ele se desconecta do nucleotídeo durante a reação da DNA polimerase, liberando-se da crescente cadeia de DNA.

*André Murad é diretor científico do Grupo Brasileiro de Oncologia de Precisão (GBOP), diretor clínico da Personal - Oncologia de Precisão e Personalizada, professor adjunto coordenador da Disciplina de Oncologia da Faculdade de Medicina da UFMG, e oncologista e oncogeneticista da CETTRO Oncologia (DF)

Publicidade
MULHERES NA CIÊNCIA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519