19052022Qui
AtualizadoQua, 18 Maio 2022 11pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Cardiotoxicidade

Câncer de mama e fatores de risco cardiometabólicos

ariane 2020 bxQual a incidência de fatores de risco cardiometabólicos em sobreviventes de câncer de mama? Estudo prospectivo que comparou o risco de hipertensão, diabetes e dislipidemia em mulheres com e sem câncer de mama reportou resultados no Journal of Clinical Oncology, em artigo de Kwan et al. Mulheres com câncer de mama apresentaram maior incidência de hipertensão e especialmente diabetes até 10 anos após o diagnóstico, risco que foi ainda maior em pacientes que receberam radioterapia do lado esquerdo e terapia endócrina. A cardio-oncologista Ariane Vieira Scarlatelli Macedo (foto) comenta os resultados.

Nesta análise, foram consideradas mulheres com câncer de mama invasivo diagnosticadas de 2005 a 2013 no Kaiser Permanente Northern California (KPNC). As pacientes inscritas foram pareadas com controles sem antecedentes de câncer, estratificadas por ano de nascimento, raça e etnia. As taxas de incidência cumulativa de hipertensão, diabetes e dislipidemia foram estimadas, assim como as razões de risco relacionados a doenças cardiometabólicas, considerando tipo de tratamento e índice de massa corporal (IMC). 

Resultados

Um total de 14.942 casos de câncer de mama e 74.702 controles foram identificados, com idade média de 61,2 anos, 65% brancos não hispânicos. Em comparação com os controles, os casos de câncer de mama apresentaram maiores taxas de incidência cumulativa de hipertensão (10,9% v 8,9%) e diabetes (2,1% v 1,7%) após 2 anos, com maior incidência de diabetes persistindo após 10 anos (9,3% v 8,8%).

Em modelos multivariáveis, os casos apresentaram maior risco de diabetes (sHR, 1,16; IC 95%, 1,07 a 1,26) versus controles. Casos tratados com quimioterapia (sHR, 1,23; 95% CI, 1,11 a 1,38), radiação do lado esquerdo (sHR, 1,29; 95% CI, 1,13 a 1,48) ou terapia endócrina (sHR, 1,23; 95% CI, 1,12 a 1,34) continuaram a ter maior risco de diabetes. O risco de hipertensão foi maior para os casos que receberam radiação do lado esquerdo (sHR, 1,11; IC 95%, 1,02 a 1,21) ou terapia endócrina (sHR, 1,10; IC 95%, 1,03 a 1,16). Casos de peso normal (IMC < 24,9 kg/m2) tiveram maiores riscos gerais e dentro dos subgrupos de tratamento versus controles.

Em conclusão, sobreviventes de câncer de mama no KPNC experimentaram riscos elevados de diabetes e hipertensão em comparação com mulheres sem câncer de mama, dependendo dos tratamentos recebidos e do IMC, resultados que apoiam a vigilância cardiovascular nessa população.

Dados apoiam vigilância cardiovascular direcionada por características específicas do paciente e do tratamento realizado

Por Ariane Vieira Scarlatelli Macedo, vice-presidente do Grupo de Estudos de Cardio-Oncologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia e coordenadora nacional da cardio-oncologia da Rede D’Or

Já existem amplas evidências de que a presença de fatores de risco cardiovasculares, antes do tratamento do câncer de mama, pode aumentar o risco de eventos cardiotóxicos no futuro. Adicionalmente, o risco potencial para o surgimento de hipertensão e diabetes após o tratamento oncológico aumenta o risco de mortalidade cardiovascular em pacientes tratadas de câncer de mama.

Os resultados do presente estudo reforçam o reconhecimento de que pacientes com câncer de mama são uma população vulnerável e com maior risco de desenvolver fatores de risco cardiometabólicos em comparação com a população geral sem histórico de câncer de mama. Estes dados apoiam a vigilância cardiovascular direcionada por características específicas do paciente e do tratamento realizado para reduzir esses riscos cardiovasculares em um seguimento multidisciplinar entre a cardiologia e oncologia.

As razões potenciais para o aumento dos riscos elevados mencionados no estudo incluem alterações na pressão arterial e no metabolismo, precipitadas pela quimioterapia e terapia endócrina, além da radiação torácica do lado esquerdo, que tem maior probabilidade de causar alterações sistêmicas no sistema cardiovascular.

Estudos futuros devem examinar estratégias para prevenção de fatores de risco cardiometabólicos em sobreviventes de câncer, com especial atenção para a população submetida a tratamento de câncer de mama.

Referência: Risk of Cardiometabolic Risk Factors in Women With and Without a History of Breast Cancer: The Pathways Heart Study - DOI: 10.1200/JCO.21.01738 Journal of Clinical Oncology - Published online January 13, 2022.

 

 
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519