28092021Ter
AtualizadoSeg, 27 Set 2021 6pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Cardiotoxicidade

Saúde cardíaca e risco de câncer

ariane 2020 bxAlém de reduzir o risco de doenças cardiovasculares, manter a saúde cardíaca resulta em menor risco de desenvolver câncer. É o que aponta estudo liderado por pesquisadores do Massachusetts General Hospital (MGH), que correlaciona doença cardiovascular (DCV) e câncer entre participantes de dois grandes estudos de base populacional. Os resultados foram reportados na JACC CardioOncology, confirmando que fatores tradicionais de risco cardíaco, incluindo idade avançada, sexo masculino e tabagismo atual ou anterior foram todos associados ao aumento do risco de câncer. A cardio-oncologista Ariane Vieira Scarlatelli Macedo (foto), vice-presidente do Grupo de Estudos de Cardio-Oncologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia e coordenadora nacional da cardio-oncologia da Rede D’Or, comenta os resultados.

“Identificamos uma associação entre estilo de vida saudável para o coração e um risco menor de câncer, e o oposto é verdadeiro:  um estilo de vida menos saudável para o coração também está associado a maior risco de câncer”, destaca a publicação.

A análise considerou dados de 20.305 participantes de dois grandes estudos de longo prazo: o Framingham Heart Study e o estudo PREVEND (Prevention of Renal and Vascular End-Stage Disease).

Foram considerados os fatores de risco de doença cardiovascular (DCV, incluindo obesidade, diabetes, colesterol alto e pressão alta), risco cardiovascular medido pelo escore aterosclerótico de 10 anos (ASCVD), marcadores de diagnóstico de DCV, como peptídeos natriuréticos e troponinas cardíacas, DCV no início do estudo e a pontuação de saúde cardiovascular Life’s simple 7 da American Heart Association (AHA), uma medida referente à saúde cardíaca e estilo de vida.

Os resultados corroboram evidências já conhecidas, indicando que os fatores de risco de DCV tradicionais, como idade, sexo e tabagismo foram positivamente associados ao câncer. Além disso, cada aumento de 5% no escore de risco ASCVD estimado em 10 anos foi associado a um aumento de 16% no risco de câncer. Os participantes estratificados no terço mais alto dos níveis de peptídeo natriurético tiveram risco 40% maior de desenvolver câncer do que aqueles no terço inferior. Indivíduos que mais aderiram às recomendações da AHA no início do estudo (controlar a pressão arterial, controlar colesterol, reduzir o açúcar no sangue, tornar-se ativo, comer melhor, perder peso, parar de fumar) apresentaram menor risco de câncer no futuro.

A íntegra do estudo está disponível, em acesso aberto.

Benefício conjunto na prevenção de doenças cardiovasculares e câncer

Por Ariane Vieira Scarlatelli Macedo

O estudo de Lau et al fornece uma contribuição importante ao explorar as associações temporais e a influência dos fatores de risco de DCV na incidência do câncer.   

Pontos fortes do estudo são o grande tamanho da amostra e a adequada caracterização dos participantes assim como o seguimento cuidadoso e a adjudicação de desfechos usando diagnósticos histológicos e não apenas códigos de diagnóstico administrativo.

Estudos anteriores2 também abordaram o estilo de vida individual e os fatores de risco para DCV em americanos e encontraram associações semelhantes. Um grande estudo com mais de 575.000 indivíduos europeus mostrou associações dos níveis de pressão arterial com a incidência geral de câncer em homens e com subtipos específicos de câncer em homens e mulheres3. A consistência dos resultados entre essas coortes vem reforçar o conceito de fatores de risco comuns para DCV e câncer o oferece oportunidades para implementar mudanças na prática clínica e sugerir pesquisas.

Como médicos, é importante termos uma abordagem abrangente para a comunicação e implementação de estratégias de promoção da saúde e prevenção de doenças. 

É fundamental o aconselhamento e a realização de intervenções seguras para melhorar o estilo de vida e controlar os fatores de risco existentes, usando medicamentos quando necessário. Nesse sentido, a prevenção primária das doenças cardiovasculares está bem à frente do campo da prevenção do câncer.

 Ë importante fomentar nas mentes de nossos pacientes o conceito de que há um benefício conjunto prevenindo doenças cardiovasculares e câncer ao se implementar intervenções no estilo de vida adotando padrões alimentares mais saudáveis ​​e aumentando a participação atividades físicas.

Um ponto importante que este estudo levanta e que deve ser objeto pesquisas clínicas futuras é o impacto dos fatores de risco de DCV no início da vida na sobrevivência ao câncer. À medida que aumenta a sobrevida ao câncer, a DCV em sobreviventes se torna cada vez mais prevalente. Isso é provavelmente o resultado de fatores de risco modificáveis ​​compartilhados e mecanismos moleculares sobrepostos.

O caminho para prevenção primária do câncer e DCV vem sendo construído em um esforço conjunto da oncologia, cardiologia e tantas outras áreas. Agora cabe a orientar a população a seguir este caminho para promover saúde e não gerar doenças.

Referências:

1 - Cardiovascular Risk Factors Are Associated With Future Cancer - Emily S. Lau, Samantha M. Paniagua, et al - J Am Coll Cardiol CardioOnc. 2021 Mar, 3 (1) 48–58

https://www.jacc.org/doi/10.1016/j.jaccao.2020.12.003

2 - Rasmussen-Torvik L.J., Shay C.M., Abramson J.G., et al. "Ideal cardiovascular health is inversely associated with incident cancer". Circulation 2013;127:1270-1275.

3 - Stocks T., Hemelrijck M.V., Manjer J., et al. "Blood pressure and risk of cancer incidence and mortality in the Metabolic Syndrome and Cancer Project". Hypertension 2012;59:802-810.

 

 

Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519