20022019Qua
AtualizadoTer, 19 Fev 2019 10pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Gastrectomia no câncer gástrico inicial

CIRURGIA NET OKEstudo clínico randomizado que avaliou 1.416 pacientes com câncer gástrico inicial mostrou que as taxas de sobrevida global em 5 anos foram de 94,2% no grupo de gastrectomia laparoscópica e de 93,3% no grupo de gastrectomia aberta. Os resultados foram publicados no JAMA Oncology e indicam que a gastrectomia distal laparoscópica é uma alternativa oncologicamente segura à cirurgia aberta para câncer gástrico estágio I.

A gastrectomia distal laparoscópica tem ganhado popularidade sobre a gastrectomia distal aberta em razão dos melhores resultados pós-operatórios imediatos. No entanto, os autores argumentam que nenhum estudo havia demonstrado a não inferioridade da gastrectomia distal laparoscópica em termos de segurança oncológica.

Agora, os dados do estudo KLASS-01 mostram que as taxas de sobrevida câncer específica em 5 anos foram semelhantes entre os dois grupos: 97,1% no grupo de gastrectomia laparoscópica e 97,2% no grupo de gastrectomia aberta, assim como a sobrevida global.

Este estudo de fase 3, multicêntrico, incluiu 15 cirurgiões de 13 instituições para avaliar pacientes com diagnóstico clínico e histologicamente comprovado de adenocarcinoma gástrico estágio I. De 5 de janeiro de 2006 a 23 de agosto de 2010, o estudo inscreveu 1.416 pacientes, randomizados (1: 1) para gastrectomia distal laparoscópica (n = 705) ou gastrectomia distal aberta (n = 711). Destes pacientes, 85 receberam uma abordagem cirúrgica oposta àquela para a qual foram randomizados (63 randomizados para o grupo de cirurgia aberta e 22 para o grupo de laparoscopia). A sobrevida e o status de recorrência foram determinados em dezembro de 2016.

Resultados

Entre os 1416 pacientes avaliados, as taxas de sobrevida global em 5 anos foram de 94,2% no grupo de abordagem laparoscópica e de 93,3% no grupo de cirurgia aberta (log-rank P = 0,64). A análise por intenção de tratar confirmou a não inferioridade da abordagem laparoscópica comparada à abordagem aberta (diferença, 0,9 pontos percentuais; IC de 1, 5 e 97,5%). As taxas de sobrevida câncer específica em 5 anos foram semelhantes entre os dois grupos (97,1% no grupo laparoscópico e 97,2% no grupo de cirurgia aberta, log-rank P = 0,91).

Em conclusão, o estudo KLASS-01 revelou taxas de sobrevida global e sobrevida câncer específica semelhantes entre pacientes que receberam gastrectomia laparoscópica e distal aberta, mostrando que a gastrectomia distal laparoscópica é uma alternativa oncologicamente segura para câncer gástrico estágio I.

O estudo está registrado na ClinicalTrials.gov :NCT00452751.

Referência: Kim, H.-H., Han, S.-U., Kim, M.-C., Kim, W., Lee, H.-J., … Ryu, S. W. (2019). Effect of Laparoscopic Distal Gastrectomy vs Open Distal Gastrectomy on Long-term Survival Among Patients With Stage I Gastric Cancer. JAMA Oncology. doi:10.1001/jamaoncol.2018.6727


Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p