20112018Ter
AtualizadoTer, 20 Nov 2018 1am

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Cuidado centrado no paciente oncológico

IDOSO PACIENTE NET OKDe olho na nova geração de survivors e nos melhores resultados terapêuticos, qualidade de vida tem merecido atenção redobrada, agora também com um olhar atento aos desfechos de longo prazo. 

Na prática diária, vencer barreiras na comunicação médico-paciente e dedicar um olhar mais atento ao controle de sintomas são questões que ainda desafiam a comunidade médica.

Apresentado em sessão plenária na ASCO 2017, estudo de Basch et al mostrou em números que valorizar a qualidade de vida traz resultados importantes. O estudo utilizou uma plataforma online para monitorar os sintomas de pacientes com câncer metastático e mostrou que após um seguimento médio de 7 anos, a intervenção aumentou a sobrevida global em 5 meses. “O ganho de sobrevida pode parecer modesto, mas é maior que o efeito de muitas terapias-alvo”, afirmou Ethan Basch, professor de medicina da Universidade de Carolina do Norte e primeiro autor do estudo.

Sem dúvida, é um desafio a mais, entre tantos outros, a começar pela avaliação das diversas variáveis que determinam qualidade de vida. Como avaliar com segurança algo subjetivo, multidimensional e muitas vezes particular?

Uma boa relação médico-paciente é ponto de partida obrigatório. Parece simples? Não é. “Os médicos em geral não avaliam e por isso o controle de sintomas é ruim”, afirma Ricardo Caponero, coordenador do Centro avançado de Terapia de Suporte e Medicina Integrativa do Centro de Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O crescente número de sobreviventes de câncer, os chamados survivors, impõem a necessidade de oferecer qualidade de vida, em uma lógica que cada vez mais traz em perspectiva a integralidade da assistência e revela que o gargalo do acesso também alcança estratégias preventivas e de cuidados de suporte. A boa notícia é que à medida em que os desafios aumentam, crescem também alternativas para contribuir com o bem-estar do paciente e sobrevivente de câncer. Exemplos disso são as técnicas de medicina integrativa para a promoção da qualidade de vida durante e após o tratamento, assim como as evidências que demonstram cada vez mais a importância da nutrição e estilo de vida para viver mais. E melhor.

Leia mais: Integralidade da assistência oncológica

 Cuidados integrativos e saúde global

Desnutrição no câncer preocupa especialistas

Impacto da atividade física

Atenção aos aspectos psicológicos

Benefícios da acupuntura

Ioga mostra resultados


Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
Merck 300x250 2018
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250
Publicidade
ad lilly 300X250px
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p