20112018Ter
AtualizadoTer, 20 Nov 2018 1am

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Cuidados integrativos e saúde global

INTEGRATIVOS NET OKCresce o número de estudos que apoiam o uso de práticas integrativas. Meditação, acupuntura, ioga e musicoterapia estão entre as terapias com maior grau de evidência.

Em artigo publicado no Journal of the National Cancer Institute Monographs, a Society for Integrative Oncology (SIO) propôs uma definição abrangente da oncologia integrativa. Segundo a nova proposta, "a oncologia integrativa é um campo centrado no paciente e com base em evidências, que utiliza práticas mentais e corporais, produtos naturais e/ou modificações de estilo de vida de diferentes tradições ao lado dos tratamentos convencionais contra o câncer.

Estabelecer uma definição abrangente é fundamental para evitar que pacientes vulneráveis venham a ser alvo de intervenções sem evidências científicas, com potencial risco à saúde. “Existem estudos sérios que mostram a atividade de terapias integrativas. Mas é difícil separar aquilo que é pesquisa séria do que é simplesmente um relato. Tem muito mais joio do que trigo nessa história”, afirma o oncologista Ricardo Caponero, coordenador do Centro avançado de Terapia de Suporte e Medicina Integrativa do Centro de Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Com a definição, a expectativa é avançar na pesquisa, prática e educação sobre cuidados integrativos.

Este ano, a SIO também publicou uma atualização do guideline de terapias integrativas durante e após o tratamento do câncer de mama. Artigo no Cancer Journal for Clinicians, da American Cancer Association, descreve resultados de estudo de revisão sistemática que avaliou mais de 80 terapias diferentes e estabeleceu graus de evidência para cada uma delas.

A prática de meditação apresentou a evidência mais sólida para reduzir a ansiedade, tratar sintomas de depressão e melhorar a qualidade de vida. Musicoterapia, ioga e massagem receberam grau B de evidência para os mesmos sintomas. Ioga recebeu grau C de evidência para o tratamento da fadiga.

Eficácia comprovada

Apesar do ceticismo inicial, diversos estudos têm demonstrado que tais técnicas, associadas ao tratamento convencional, podem contribuir para o bem-estar do paciente. “Esse movimento vem acontecendo, as evidências científicas estão surgindo. É preciso reconhecer que não é apenas o tratamento farmacológico que traz benefícios”, afirma o oncologista Gustavo Godoy, do Hospital das Clinicas da UFPE, médico da Onkos Clínica de Oncologia e coordenador do Grupo SALVO - Suporte Avançado pela Qualidade de Vida em Oncologia.

Para Caponero, apesar de alguns estudos mostrarem benefícios de técnicas, individualmente, o que faz a diferença é a mudança de estilo de vida e foco na promoção da saúde, de maneira integral. “O que a gente observa na nossa prática é que a maioria dos pacientes não se submete a apenas uma terapia integrativa. É difícil avaliar efetivamente o que faz efeito. Funciona como uma porta de entrada para realmente refazer a vida e promover uma mudança concreta de postura”, afirma.

Referências: Claudia M. Witt et al. A Comprehensive Definition for Integrative Oncology - JNCI Monographs, Volume 2017, Issue 52, 1 November 2017

Heather Greenlee et al. Clinical practice guidelines on the evidence-based use of integrative therapies during and after breast cancer treatment – First published: 24 April 2017

Leia mais:

Cuidado centrado no paciente oncológico

Integralidade da assistência oncológica

Desnutrição no câncer preocupa especialistas

Impacto da atividade física

Atenção aos aspectos psicológicos

Benefícios da acupuntura

Ioga mostra resultados

 


Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
Merck 300x250 2018
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250
Publicidade
ad lilly 300X250px
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p