20112018Ter
AtualizadoTer, 20 Nov 2018 1am

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Estudo multicêntrico propõe escore de recorrência no câncer de mama inicial

CARLOS LIMA JR NET OKEstudo multi-institucional cria escore preditivo de recorrências local e locorregional para pacientes com tumores iniciais de mama tratadas com quimioterapia neoadjuvante, cirurgia conservadora e radioterapia adjuvante. O radio-oncologista Carlos Lima Júnior (foto), da clínica de Radioterapia São Sebastião, em Santa Catarina, apresenta a síntese do estudo e seus principais resultados.

 

Com a utilização mais frequente da quimioterapia neoadjuvante nos tumores iniciais de mama, é fundamental reconhecer quais fatores prognósticos são capazes de predizer o maior risco de recidivas local ou locorregional após a cirurgia conservadora da mama. Estudo publicado na Cancer apresenta metanálise de dados de 4125 pacientes individuais tratadas com quimioterapia primária seguida de cirurgia conservadora de mama e radioterapia adjuvante.

 

A análise de 9 estudos permitiu desenvolver um escore prognóstico para recidiva. Na corte total das pacientes, houve 6,5% de recidiva local e 10,3% de recidiva locorregional em 10 anos. Quatro fatores prognósticos foram identificados como independentemente associados à recidiva local: doença receptor de estrógeno negativa, linfonodos positivos precedendo a quimioterapia, linfonodos patologicamente positivos após a quimioterapia e presença de mais que 3 linfonodos positivos à cirurgia. Ao primeiro fator atribuiu-se a pontuação 2, ao passo que, aos demais, a pontuação 1.

Foi criado um escore que dividiu as pacientes conforme o risco de recidiva local em três grupos: o grupo de baixo risco consistiu nas pacientes com até 1 ponto, tendo apresentado 4% de recidiva local; o grupo intermediário consistiu de pacientes com 2 a 4 pontos, sendo a taxa de recidiva local 7,9%; o grupo de alto risco apresentava 5 pontos e taxa de recidiva de 20,4%. Seis fatores foram implicados no risco de recidiva locorregional: doença receptor de estrógeno negativa, tumores com estádio clínico T3 ou T4, linfonodos positivos precedendo a quimioterapia, ausência de resposta patológica completa na mama, ausência de resposta patológica completa linfonodal e presença de mais de 3 linfonodos positivos ao esvaziamento axilar. Um escore prognóstico também foi criado para predizer a recidiva locorregional.

As vantagens deste estudo em comparação às cortes que previamente haviam analisado os fatores de risco para recidiva são a elaboração dos dois escores prognósticos obtidos a partir do exame de maior número de pacientes de 9 instituições diversas. O trabalho demonstra, ainda, a segurança oncológica da cirurgia conservadora após a quimioterapia primária, evidenciado pelos baixos índices de recidivas.

Referências: Valachis A, Mamounas EP, Mittendorf EA, et al. Risk Factors for Locoregional Disease Recurrence After Breast-Conserving Therapy in Patients With Breast Cancer Treated With Neoadjuvant Chemotherapy: An International Collaboration and Individual Patient Meta-Analysis. Cancer 2018;124(14):2923-2930.

Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
Merck 300x250 2018
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250
Publicidade
ad lilly 300X250px
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p