18072018Qua
AtualizadoTer, 17 Jul 2018 12pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Inibidores de ciclinas apresentam novas evidências no SABCS

IdosaEstudo apresentado no San Antonio Breast Cancer Symposium sugere que mulheres mais velhas com câncer de mama metastático HER2-negativo, com status positivo de receptor hormonal, tratadas com inibidores de quinase dependentes de ciclinas 4 e 6 (CDK4/6) alcançaram taxas de sobrevida livre de progressão semelhantes às de mulheres mais jovens.


PANACEA: terapia anti-HER2 e anti PD-1 no câncer de mama metastático

MAMA bxOs resultados do estudo PANACEA de fase Ib/II sugerem que a combinação de pembrolizumabe e trastuzumabe beneficia pacientes com câncer de mama HER2+ metastático com expressão de PD-L1, que progrediram à terapia inicial. Os resultados apresentados em San Antonio mostram que o estudo atingiu seu endpoint primário, com taxa de resposta objetiva (ORR) de 15,2%. O tratamento com pembrolizumabe/ trastuzumabe atingiu uma taxa de controle da doença de 24% em pacientes com expressão positiva de PD-L1 (PD-L1+). Não houve respostas no grupo PD-L1-negativo.

Biópsia líquida na avaliação de risco de recorrência

Biopsia Liquida NET OKAs células tumorais circulantes (CTC) cinco anos após o diagnóstico são prognósticas para a recorrência tardia do câncer de mama HER2 negativo, ressecável, estádio II-III. É o que mostra estudo apresentado em San Antonio, indicando que um teste de CTC positivo pode representar um novo paradigma na avaliação de risco.

Destaques de San Antonio 2017

Debiasi sanantonio2017 Still bxO oncologista Marcio Debiasi (foto), diretor científico do LACOG/GBECAM, preceptor do serviço de oncologia clínica do Hospital São Lucas da PUCRS e médico do Hospital do Câncer Mãe de Deus, em Porto Alegre, comenta em vídeo alguns dos estudos que foram destaque no San Antonio Breast Cancer Symposium 2017, realizado em dezembro, no Texas, EUA. Assista.

SOLD: duração ideal da adjuvância no câncer de mama HER2

Joensuu Heikki NET OKO estudo SOLD avaliou 2.176 mulheres com câncer de mama HER2+ e apresentou na conferência de San Antonio os resultados de eficácia e segurança comparando o uso de trastuzumabe pelo padrão de 12 meses após a quimioterapia versus o uso por 9 semanas após a quimioterapia. Não houve diferença substancial de sobrevida global e sobrevida livre de doença entre os dois braços avaliados, mas o estudo não alcançou o poder estatístico planejado. Os dados foram apresentados por Heikki Joensuu (foto), professor do Departmento de Oncologia na Universidade de Helsinque, Finlândia.


Publicidade
banner_assine_300x250.jpg
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250