19092018Qua
AtualizadoTer, 18 Set 2018 1pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

ESMO 2017

Câncer de pulmão na ESMO 2017

Samira Mascarenhas NET OKSamira Mascarenhas (foto), oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia/Grupo Oncoclínicas e membro do Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica (GBOT), comenta alguns dos destaques em câncer de pulmão do programa científico da ESMO 2017.

LBA50 - Overall survival (OS) for first-line Crizotinib versus chemotherapy in ALK+ lung cancer: Updated results from PROFILE 1014

O estudo PROFILE 1014 foi um estudo de fase III, que comparou na população ALK positivo quimioterapia (pemetrexede e platina) versus Crizotinibe. Os dados de sobrevida global (SG) foram apresentados na ESMO.

A mediana de follow up de sobrevida global foi de 46 meses, 41% de eventos reportados no braço do crizotinibe e 47% no braço da quimio. Houve um benefício numérico na SG com crizotinibe quando comparado a quimioterapia, mas não alcançou significância estatística.

A maioria dos pacientes (84%) que foram randomizados para quimioterapia recebeu crizotinibe quando apresentou progressão e isso pode ter afetado os dados de sobrevida global. Uma análise exploratória ajustando para os efeitos do crossover, demonstrou que a SG teria sido mais longa para os pacientes que receberam crizotinibe se não tivesse sido permitido o crossover HR: 0.346 (95% CI: 0.081, 0.718)

1301PD - Three-year follow-up from CheckMate 017/057: Nivolumab versus docetaxel in patients with previously treated advanced non-small cell lung cancer (NSCLC)

Foi apresentado na ESMO o resultado de follow up de 3 anos dos estudos de fase III Checkmate 017 e 057, reconhecidamente positivos em sobrevida global, taxa de resposta e também qualidade de vida quando comparou nivolumabe versus docetaxel em pacientes com câncer de pulmão avançado previamente tratados.

Após 36,6 meses de seguimento, dos 427 pacientes randomizados, 6% permanecem em tratamento, quando no grupo do docetaxel, nenhum paciente.

Há um benefício de sobrevida global em 3 anos, 16% versus 6% no Checkmate 017 e 18% versus 9% no Checkmate 057. Do total (427) de pacientes que receberam nivolumabe em ambos estudos, 17% tiveram sobrevida global maior ou igual a 3 anos.

Esses dados reafirmam o benefício da imunoterapia no tratamento do câncer de pulmão.

1295O - Blood-based biomarkers for cancer immunotherapy: Tumor mutational burden in blood (bTMB) is associated with improved atezolizumab (atezo) efficacy in 2L+ NSCLC (POPLAR and OAK)

Atualmente, o biomarcador PDL1 tem sido utilizado na seleção de tratamento em imunoterapia, longe de ser um biomarcador ideal, e como ponto negativo acrescentamos o fato de utilizar o tecido, que na grande maioria das vezes é escasso, sendo necessário para muitos estudos. Essa é uma análise retrospectiva que reuniu quase 800 pacientes dos estudos OAK e POPLAR.

Sobrevida livre de progressão e sobrevida global foram avaliadas de acordo com subgrupos definidos pela carga mutacional do tumor, no sangue. O estudo revelou que um alto nível de carga mutacional no sangue está associado com melhor PFS e sobrevida global no POPLAR. No OAK, o benefício de PFS com atezo versus docetaxel também foi observado.

Um outro dado bastante interessante foi que esse teste TMB não foi relacionado com a expressão de PDL1. Esse dado nos leva a reflexão da importância do uso da carga tumoral na seleção de tratamento e nos deixa com perspectivas de no futuro utilizarmos um biomarcador para imunoterapia, de forma mais assertiva e factível.

Publicidade
banner_assine_300x250.jpg
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250