22102017Dom
AtualizadoQui, 19 Out 2017 3pm

banner_freud_adv_468x60.jpg

ESMO 2017

Câncer de pulmão na ESMO 2017

Samira Mascarenhas NET OKSamira Mascarenhas (foto), oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia/Grupo Oncoclínicas e membro do Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica (GBOT), comenta alguns dos destaques em câncer de pulmão do programa científico da ESMO 2017.

LBA50 - Overall survival (OS) for first-line Crizotinib versus chemotherapy in ALK+ lung cancer: Updated results from PROFILE 1014

O estudo PROFILE 1014 foi um estudo de fase III, que comparou na população ALK positivo quimioterapia (pemetrexede e platina) versus Crizotinibe. Os dados de sobrevida global (SG) foram apresentados na ESMO.

A mediana de follow up de sobrevida global foi de 46 meses, 41% de eventos reportados no braço do crizotinibe e 47% no braço da quimio. Houve um benefício numérico na SG com crizotinibe quando comparado a quimioterapia, mas não alcançou significância estatística.

A maioria dos pacientes (84%) que foram randomizados para quimioterapia recebeu crizotinibe quando apresentou progressão e isso pode ter afetado os dados de sobrevida global. Uma análise exploratória ajustando para os efeitos do crossover, demonstrou que a SG teria sido mais longa para os pacientes que receberam crizotinibe se não tivesse sido permitido o crossover HR: 0.346 (95% CI: 0.081, 0.718)

1301PD - Three-year follow-up from CheckMate 017/057: Nivolumab versus docetaxel in patients with previously treated advanced non-small cell lung cancer (NSCLC)

Foi apresentado na ESMO o resultado de follow up de 3 anos dos estudos de fase III Checkmate 017 e 057, reconhecidamente positivos em sobrevida global, taxa de resposta e também qualidade de vida quando comparou nivolumabe versus docetaxel em pacientes com câncer de pulmão avançado previamente tratados.

Após 36,6 meses de seguimento, dos 427 pacientes randomizados, 6% permanecem em tratamento, quando no grupo do docetaxel, nenhum paciente.

Há um benefício de sobrevida global em 3 anos, 16% versus 6% no Checkmate 017 e 18% versus 9% no Checkmate 057. Do total (427) de pacientes que receberam nivolumabe em ambos estudos, 17% tiveram sobrevida global maior ou igual a 3 anos.

Esses dados reafirmam o benefício da imunoterapia no tratamento do câncer de pulmão.

1295O - Blood-based biomarkers for cancer immunotherapy: Tumor mutational burden in blood (bTMB) is associated with improved atezolizumab (atezo) efficacy in 2L+ NSCLC (POPLAR and OAK)

Atualmente, o biomarcador PDL1 tem sido utilizado na seleção de tratamento em imunoterapia, longe de ser um biomarcador ideal, e como ponto negativo acrescentamos o fato de utilizar o tecido, que na grande maioria das vezes é escasso, sendo necessário para muitos estudos. Essa é uma análise retrospectiva que reuniu quase 800 pacientes dos estudos OAK e POPLAR.

Sobrevida livre de progressão e sobrevida global foram avaliadas de acordo com subgrupos definidos pela carga mutacional do tumor, no sangue. O estudo revelou que um alto nível de carga mutacional no sangue está associado com melhor PFS e sobrevida global no POPLAR. No OAK, o benefício de PFS com atezo versus docetaxel também foi observado.

Um outro dado bastante interessante foi que esse teste TMB não foi relacionado com a expressão de PDL1. Esse dado nos leva a reflexão da importância do uso da carga tumoral na seleção de tratamento e nos deixa com perspectivas de no futuro utilizarmos um biomarcador para imunoterapia, de forma mais assertiva e factível.

Publicidade
AD_Pfizer_2017_ 300x250px.jpg
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner logo astellas 300x250
Publicidade
banner assine 300x250