15122018Sáb
AtualizadoQui, 13 Dez 2018 4pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

ASH 2018

Menos quimioterapia no linfoma difuso de grandes células B

VIOLA ASH2018 NET OKEstudo apresentado na ASH 2018 sugere que para pacientes mais jovens com linfoma difuso de grandes células B de baixo risco, quatro ciclos de quimioterapia são tão eficazes quanto seis ciclos na erradicação do câncer e prevenção da recidiva. “Nosso estudo mostrou que você pode poupar dois ciclos de quimioterapia e ser igualmente eficaz. Acreditamos que este será o novo padrão de tratamento para essa população de pacientes”, disse Viola Poeschel (foto), médica da Saarland University Medical School em Homburg/Saar, Alemanha, e principal autora do estudo. Viola apresentará o trabalho durante sessão oral na segunda-feira, 03 de dezembro.

A maioria dos pacientes recebe tratamento em seis ciclos separados por três semanas. Cada ciclo de tratamento inclui o regime de quimioterapia CHOP, que inclui ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina e prednisona. Juntamente com o CHOP, os pacientes recebem o anticorpo monoclonal rituximabe, que é menos tóxico e, portanto, tem menos efeitos colaterais do que a quimioterapia.

Foram inscritos cerca de 600 pacientes com linfoma difuso de grandes células B (entre 18 e 60 anos) tratados em instituições na Alemanha, Dinamarca, Noruega, Itália e Israel. Os pacientes tinham doença estádio I ou II, aaIPI = 0 sem doença volumosa (≥7,5 cm) e foram foram randomizados para receber 6x R-CHOP ou 4x R-CHOP + 2xR em ciclos de 21 dias. Não foi planejada a radioterapia, exceto para a radioterapia profilática do testículo contralateral em pacientes com linfoma testicular. Todos os pacientes receberam o padrão de seis ciclos de rituximabe. Sob o regime reduzido, a quimioterapia dura um total de 84 dias, em comparação com 126 dias com o regime de seis ciclos.

O endpoint primário foi sobrevida livre de progressão (SLP) com eventos definidos como doença progressiva, recidiva ou morte.

Resultados

Entre dezembro de 2005 e outubro de 2016, 592 pacientes foram randomizados no estudo internacional multicêntrico FLYER e 588 pacientes foram avaliados para esta análise final. 295 pacientes foram designados para receber 6x R-CHOP e 293 foram designados para receber 4x R-CHOP + 2xR. Não houve diferenças relevantes na demografia (idade mediana: 48 anos, 99% aaIPI=0, 1% aaIPI=1, 0,3% doença volumosa), adesão ao protocolo e toxicidade entre os dois braços.

Sobrevida livre de progressão (SLP), sobrevida livre de eventos (SLE) e sobrevida global (SG) após 4x R-CHOP + 2xR foram tão bons quanto após 6x R-CHOP. Após 66 meses de mediana de observação, a taxa de SLP em 3 anos dos pacientes que receberam 4x R-CHOP + 2xR foi de 96% vs. 94% dos pacientes que receberam 6x R-CHOP (p = 0,760). A SLE em 3 anos foi idêntica (89%) em ambos os braços de tratamento.

A SG em 3 anos foi de 99% em pacientes que receberam 4x R-CHOP + 2xR e 98% em pacientes que receberam 6x R-CHOP. Em um ajuste de análise multivariada para estratos (estágio e envolvimento E), a hazard ratio de 4x R-CHOP + 2xR comparado a 6x R-CHOP foi de 1 (95% CI: 0,7-1,6; p = 0,896) para EFS, 0,9 (IC 95%: 0,5-1,6; p = 0,797) para SLP e 0,8 (IC 95%: 0,4-1,9; p = 0,671) para SG. Com relação à taxa de recidiva, também não houve diferença significativa entre os dois braços de tratamento. 4% (IC 95% 2-7%) dos doentes no braço 4x R-CHOP + 2xR recidivaram vs. 5% (IC 95% 3-8%) dos doentes no braço 6x R-CHOP. 33% das recidivas ocorreram nos dois primeiros anos após a inclusão no estudo, mas continuam a ser observadas com maior tempo de seguimento em ambos os braços.

Os dados sugerem ainda que a redução do número de ciclos de quimioterapia também reduz o número de eventos adversos em um terço. Ao todo, 1.295 eventos adversos ocorreram nos 295 pacientes que foram submetidos a seis ciclos de quimioterapia, em comparação com 835 eventos adversos nos 293 pacientes que receberam apenas quatro ciclos de quimioterapia. "Este é um benefício importante e significativo para os pacientes", acrescentou Poeschel.

Os pesquisadores continuarão a monitorar a saúde dos participantes do estudo por mais cinco anos para determinar se a diminuição do número de ciclos de quimioterapia pode ajudar a reduzir os efeitos colaterais a longo prazo da quimioterapia. “Nossos resultados mostram que em pacientes jovens com prognóstico favorável, o desfecho do linfoma difuso de grandes células B após 4x R-CHOP + 2xR é não inferior comparado ao padrão anterior 6x R-CHOP. Assim, a quimioterapia pode ser poupada sem comprometer o prognóstico nessa população”, afirmaram.

O estudo foi apoiado pela Deutsche Krebshilfe, uma fundação alemã sem fins lucrativos.

Referência:Excellent Outcome of Young Patients (18-60 years) with Favourable-Prognosis Diffuse Large B-Cell Lymphoma (DLBCL) Treated with 4 Cycles CHOP Plus 6 Applications of Rituximab: Results of the 592 Patients of the Flyer Trial of the Dshnhl/GLA [781] - Viola Poeschel et al - Monday, December 3, 2018: 2:45 PM/Ballroom 20A (San Diego Convention Center)

 

Publicidade
ad lilly 300X250px
Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
Merck 300x250 2018
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p