20022019Qua
AtualizadoTer, 19 Fev 2019 10pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

ASCO GI 2019

Andecaliximab no tratamento do câncer gástrico ou de junção gastroesofágica

Estomago News 3 OK 2A adição do anticorpo monoclonal andecaliximabe (ADX) ao mFOLFOX6 não melhora a sobrevida global em pacientes com adenocarcinoma gástrico ou de junção gastroesofágica (JEG) HER2 negativo não tratados previamente. Os resultados do estudo GAMMA-1 foram apresentados quinta-feira, 17 de janeiro, no Gastrointestinal Cancers Symposium (ASCO GI 2019), em San Francisco, Califórnia.
O andecaliximabe (ADX) é um anticorpo monoclonal que inibe a metaloproteinase de matriz 9, uma enzima extracelular envolvida na remodelação da matriz, crescimento tumoral e metástase. Um estudo de fase I/Ib de mFOLFOX6 + ADX havia demonstrado atividade antitumoral promissora em pacientes com adenocarcinoma gástrico ou de junção gastroesofágica (mediana de sobrevida livre de progressão [SLP] em primeira linha de 9,9 meses). Agora, um estudo multicêntrico, randomizado, duplo-cego, de fase III, investigou a eficácia e segurança de mFOLFOX6 com/sem ADX em pacientes com doença HER2 negativa não tratados previamente.

Métodos

A randomização foi de 1:1 para mFOLFOX6 + ADX ou mFOLFOX6 + placebo (PBO). A oxaliplatina foi administrada nos dias 1 e 15 de cada ciclo de tratamento de 28 dias (total de 6 ciclos), seguida pela dosagem de leucovorina e 5-fluorouracilo nos dias 1 e 15 de cada ciclo de tratamento de 28 dias até à progressão da doença.

ADX/PBO 800 mg foi infundido nos dias 1 e 15 de cada ciclo de 28 dias até à progressão da doença. O estudo teve 85% de poder (significância unilateral de 0,025) para detectar um hazard ratio de 0,7 para a sobrevida global (SG) por análise de intenção de tratar usando o teste log-rank. Os objetivos secundários foram SLP, taxa de resposta objetiva (ORR, RECIST 1.1) e segurança.

Resultados

Entre setembro de 2015 e maio de 2017, 432 pacientes foram randomizados (218 pacientes para ADX e 214 para placebo). A mediana (95% IC) de sobrevida global foi 12,5 (11,2, 14,0) vs 11,8 (10,3, 13,5) meses nos grupos ADX e PBO, respectivamente (HR 0,93 [0,74, 1,18], two-sided p = 0,56). A mediana de sobrevida livre de progressão foi de 7,5 vs 7,1 meses nos grupos ADX e PBO, respectivamente (HR 0,84 [0,672, 1,038], two-sided p = 0,10); e a mediana de ORR avaliada por investigador foi 50,5% vs 41,1% nos grupos ADX e PBO (two-sided p = 0,049). Os eventos adversos emergentes do tratamento mais comuns foram náusea, diarreia, neutropenia e fadiga.

“Não houve diferenças significativas no perfil de segurança dos grupos ADX vs PBO. Os resultados mostraram que a adição de ADX ao mFOLFOX6 não melhora a sobrevida global em pacientes com adenocarcinoma gástrico ou de junção gastroesofágica HER2 negativo não tratados previamente”, concluíram os autores.

Informação de ensaio clínico: NCT02545504

Referência: A phase III, randomized, double-blind, placebo-controlled study to evaluate the efficacy and safety of andecaliximab combined with mFOLFOX6 as first-line treatment in patients with advanced gastric or gastroesophageal junction adenocarcinoma (GAMMA-1) - Manish A. Shah et al
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p