20022019Qua
AtualizadoTer, 19 Fev 2019 10pm

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Infusão de quimio neoadjuvante homolateral ao câncer de mama e risco de linfedema

ANKE MARCELO SABCS 4 NET OKA fisioterapeuta oncológica Anke Bergmann (foto), pesquisadora do Instituto Nacional do Câncer (INCA) e presidente da Associação Brasileira de Fisioterapia em Oncologia (ABFO), apresentou na sessão de pôster do 2018 San Antonio Breast Cancer Symposium um estudo que avaliou a associação entre a infusão de QT neo e/ou adjuvante no membro homolateral ao câncer de mama e a ocorrência de linfedema secundário à doença. O trabalho contou com a participação do mastologista Marcelo Bello (foto), médico do INCA.

 

A quimioterapia neoadjuvante tem sido administrada em pacientes com câncer de mama com axila clinicamente positiva. As diretrizes atuais recomendam ainda a linfadenectomia axilar (LA) em pacientes que persistem com linfonodos axilares positivos.

Para avaliar a associação entre a infusão de QT neo e/ou adjuvante no membro homolateral ao câncer de mama e a ocorrência de linfedema secundário, pesquisadores realizaram um estudo de coorte prospectiva em 683 mulheres submetidas a LA a tratadas com QT neo e/ou adjuvante para tratamento do câncer de mama. As pacientes foram avaliadas antes e a cada seis meses após a cirurgia. A incidência cumulativa de linfedema e o risco atribuído foram calculados.

Resultados

A incidência cumulativa de linfedema foi de 33,1%. A QT neoadjuvante, a infusão de QT e a infusão de 2 ou mais ciclos de quimioterapia no membro homolateral ao câncer de mama aumentaram o risco de linfedema (p<0,001). O linfedema poderia ser evitado em 9,4% dos casos se a infusão de quimioterapia (neo ou adjuvante) não fosse realizada no membro homolateral ao câncer de mama.

“Esse estudo demonstrou alta incidência de linfedema associado a administração de quimioterapia neoadjuvante ou adjuvante no braço homolateral ao câncer de mama. Estratégias de redução do risco de linfedema devem incluir a avaliação do melhor local de administração de quimioterapia em pacientes submetidas a linfadenectomia axilar”, observou Anke.

Referência: Neoadjuvant chemotherapy infusion in the arm ipsilateral to breast cancer increases the risk of lymphedema - Bergmann A, Bello MA, Thuker LC, Andrade MF, Bevilacqua JL Brazilian National Cancer Institute, Rio de Janeiro, RJ, Brazil; Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brazil; Hospital Sírio Libanês, São Paulo, Brazil


Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p